Topo

Futebol


Técnico critica ataque do Atlético-MG diante do Cruzeiro: "Não competimos"

Enrico Bruno e Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

11/07/2019 23h03

Rodrigo Santana fez uma análise da derrota por 3 a 0 do Atlético-MG para o Cruzeiro, na noite de hoje, no Mineirão. O técnico crê que faltou qualidade no ataque para levar perigo ao gol do adversário.

A reclamação do técnico é compreensível. O time deu apenas dois chutes na direção do gol defendido por Fábio, além de outros três para fora. Em compensação, o arquirrival teve cinco oportunidades, convertendo três delas e deu três finalizações para longe da meta.

"Nosso primeiro chute a gol foi com o Luan e depois levamos o gol. São características. Depois entrou o Geuvânio, Chará a gente conversou e ele procurou ser mais agressivo e foi o Otero, que está chegando agora vai mais para o desafio. É mais característica. São coisas que precisamos corrigir. Depois do jogo de hoje, acho que todos vão ficar atentos", disse o técnico, cobrando mais agressividade para o jogo de volta:

"A gente precisa que o time crie o máximo de dificuldade no ataque. O Cazares gosta de jogar por dentro. Do meio-campo para trás, conseguimos competir. Falta isso do meio-campo para a frente, em que não conseguimos. Vamos analisar friamente para os próximos jogos", acrescentou.

O Atlético recebe o Cruzeiro na próxima quarta-feira (17), às 19h15 (de Brasília), na Arena Independência, pela volta das quartas de final da Copa do Brasil. A equipe tem que vencer por quatro ou mais gols de diferença para se classificar de forma direta. Um triunfo por três de vantagem leva o jogo para os pênaltis.

Futebol