Topo

Efeito Fernando Miguel: Vasco não venceu sem seu goleiro em campo

Vasco tem aproveitamento muito maior quando goleiro Fernando Miguel está em campo - Carlos Gregório Júnior / Flickr do Vasco
Vasco tem aproveitamento muito maior quando goleiro Fernando Miguel está em campo Imagem: Carlos Gregório Júnior / Flickr do Vasco

Bruno Braz

Do UOL, no Rio de Janeiro

10/06/2019 04h00

Fernando Miguel não atuava pelo Vasco desde 24 de abril por conta de um estiramento na panturrilha esquerda. Bastou seu retorno, na última sexta-feira, para a equipe conquistar a primeira vitória no Campeonato Brasileiro. Pode parecer coincidência, mas, analisando os números, é eficiência: com o goleiro em campo, o Cruzmaltino rende muito mais.

Avaliando o total da temporada até aqui - somando Campeonato Carioca, Copa do Brasil e Brasileirão - o Vasco tem um aproveitamento de 57%, com 16 vitórias, sete empates e nove derrotas. Já com Fernando Miguel debaixo das traves, o índice sobe para 72%, com 16 vitórias, quatro empates e quatro derrotas.

Ou seja, além de ter perdido pouco, em todas as vitórias cruzmaltinas de 2019 o goleiro esteve presente.

"Falar da importância da vitória, ainda mais envolvendo todo contexto do que vem acontecendo, do que temos superado no dia a dia... Todos têm de se conscientizar. Atletas, diretoria, torcida... Todos aqueles que amam o Vasco. Agora é a hora de se unir cada vez mais. Hora de estarmos juntos. É um primeiro passo para arrancar e mudar essa história", disse Fernando Miguel ao Premiere após a vitória por 2 a 1 sobre o Internacional.

Virou capitão

A novidade em seu retorno ao gol do Vasco foi ter herdado a braçadeira de capitão. O goleiro falou com orgulho sobre a responsabilidade que ganhou. "Antes de mais nada, usar a faixa de capitão é uma honra para mim. Colocar essa faixa num clube como o Vasco, que possui uma imensa tradição, é algo incrível e bastante especial", disse.

"Não podemos esquecer de valorizar todos os outros líderes que temos nesse elenco, casos do Pikachu, do Werley e do Castan. Todos são jogadores que possuem imensa capacidade e são tão importantes quanto eu. Hoje estou com a faixa, mas muitos outros também podem exercer a função", disse ao site oficial do Vasco.

A tendência, porém, é que quando Leandro Castan retornar de lesão, a braçadeira de capitão retorne para o zagueiro.