PUBLICIDADE
Topo

BO contra Neymar foi assunto do dia em grupo de WhatsApp de delegados de SP

Neymar é investigado por estupro - Lucas Figueiredo/CBF
Neymar é investigado por estupro Imagem: Lucas Figueiredo/CBF

Felipe Pereira

Do UOL, em São Paulo

02/06/2019 04h00

A notícia de que uma mulher registrou boletim de ocorrência por estupro contra Neymar ganhou o Brasil no começo da noite de sábado (01/06), mas já era assunto no grupo de WhatsApp dos delegados de São Paulo durante toda a tarde. Procurados pelo UOL Esporte para confirmarem o teor do relato, eles ouviam a palavra Neymar e já atoravam a conversa: "é do 2564 que você tá falando", diziam, em referência ao número do BO.

Um delegado contou que não somente ele, mas todos os companheiros estavam sabendo do caso. Acrescentou que o print do boletim de ocorrência fora compartilhado no grupo há algumas horas. Acrescentou que eles especulavam sobre o assunto e sobre quando "a bomba" ia cair na imprensa.

A repercussão que a revelação da investigação por estupro contra o principal jogador da seleção brasileira causaria era um dos assuntos mais discutidos no grupo, afirmou. O delegado em questão falou ainda que sites com pouca reputação já tinham publicado a notícia e declarava que o assunto estava se espalhando pelo país.

Apesar da imagem do boletim de ocorrência estar no WhatsApp, ninguém aceitava abrir o sistema da Polícia Civil para mostrar o BO e confirmar que realmente existia uma acusação contra Neymar. Um escrivão falou que o ruim de trabalhar perto de empresa de comunicação era sempre aparecer jornalista pedindo este tipo de favor quando crimes de repercussão acontecem. O delegado aprovou o discurso.

Os dois explicaram que há obrigação de sigilo quando se trata de crimes sexuais. Com prevenção, o sistema usado pela Polícia Civil registra o local, a data e o login de quem acessa o boletim de ocorrência. Desta maneira, é possível fazer um rastreamento e apurar vazamentos.

Mas a delegada que registrou a queixa, Juliana Bussacos, e a assessoria de imprensa da Secretaria de Segurança Pública confirmaram a acusação da mulher. Pelo relato, os dois se conheceram pelo Instagram e começaram a conversar. Ela alegou que foi convidada a ir para Paris e chegou à cidade em 15 de maio.

A mulher falou que na mesma data Neymar esteve em seu quarto e aparentava estar embriagado. Os dois trocaram carícias, mas, pela versão dela, o atacante se tornou violento e forçou uma relação sexual não consentida. Ela declarou a Polícia Civil que voltou ao Brasil dia 17 de maio e na última sexta-feira (31/05) registrou o boletim de ocorrência. Neymar está no grupo da seleção brasileira para Copa América e estava de folga na hora em que a notícia foi veiculada.

Neymar - Lucas Figueiredo/CBF - Lucas Figueiredo/CBF
Imagem: Lucas Figueiredo/CBF

Neymar pai diz que foi armação

O pai de Neymar entrou ao vivo na TV Bandeirantes para rebater a acusação de estupro. Ele insistiu na inocência do filho e argumentou que a mulher está armando para cima do jogador. Declarou textualmente que não houve estupro e que a verdade está ao lado dele e do filho.

"Não houve estupro (...). A justiça vai saber lidar com isso. As pessoas veem dinheiro e, se puder criar dano, vão criar dano. Precisamos tomar cuidado, né? No nosso país a gente tem que se defender mesmo", declarou.

Neymar pai disse ainda que as trocas de mensagens do filho e a mulher que fez a acusação estão guardadas e foram entregues aos advogados. Ele afirmou que o atleta percebeu que havia algo estranho e passou a tomar precaução em relação à suposta vítima.

"É uma pessoa acusando o Neymar, e temos provas de que nada isso aconteceu. Tem provas forjadas por ela mesmo. O Neymar caiu nessa armadilha. Vamos fazer o possível, mostrar a verdade. O que eu e ele queremos é a verdade, porque hoje nem namorar ele vai poder", finalizou.

Futebol