Topo

Futebol


Em boa fase na China, Talisca sonha com Copa América: "Tudo é possível"

Nesta temporada na China, Talisca tem 11 jogos e marcou 10 gols - Divulgação
Nesta temporada na China, Talisca tem 11 jogos e marcou 10 gols Imagem: Divulgação

Lucas Sarti e Pedro Sciola

Colaboração para o UOL

16/05/2019 14h47

Anderson Talisca falou com o UOL Esporte sobre seu bom momento no futebol chinês. Artilheiro do Guangzhou Evergrande, vice-campeão do Campeonato Chinês, o meia-atacante brasileiro vive a esperança de que o desempenho seja suficiente para convencer Tite a dar-lhe uma oportunidade na seleção brasileira que disputará a Copa América.

"Eu sempre acredito porque eu trabalho muito forte diariamente. Tem aquele ditado que diz que tudo é possível para aquele que crê, né? Sou desses. Vamos aguardar. Se for, excelente. Se não for, seguimos firmes no trabalho", afirmou em entrevista exclusiva ao UOL Esporte.

Talisca tem a consciência de que as chances são pequenas. Quando ainda jogava no Besiktas, foi convocado pela seleção brasileira para apenas duas partidas, em amistosos contra Rússia e Alemanha disputados antes da Copa do Mundo de 2018 - e sequer entrou em campo.

"Não posso negar que vivi essa expectativa, sim, de ir para a Copa. Infelizmente não foi daquela vez. Respeitei a opção da comissão e sigo aqui trabalhando para ter oportunidades o quanto antes", disse.

Para voltar a ter uma chance na seleção, Talisca enfrenta concorrência pesada. Lucas Paquetá, Philippe Coutinho, Douglas Costa e Everton têm sido os escolhidos de Tite para o setor. Lucas Moura e Felipe Anderson também brigam por um dos lugares. A convocação acontece amanhã, às 11h, no Rio de Janeiro - com transmissão do Placar UOL.

Recentemente Tite foi à China para observar Renato Augusto em partida do Beijing Guoan justamente contra o Guangzhou Evergrande. Talisca se recuperava de uma lesão no joelho e cruzou com o treinador nas tribunas.

"Foi um encontro muito rápido. Entre outras coisas, conversamos sobre minha lesão e tratamento", contou Talisca.

A seu favor, o atacante conta com uma temporada de muitos gols na China. Em 2019, disputou 11 partidas e marcou dez vezes - desempenho que o colocou como artilheiro do Guanghzou.

"Fico muito feliz de ter esse rendimento positivo lá na frente também. Tenho certeza que tenho pontos a evoluir e seguirei trabalhando firme pra crescer em todos os aspectos", comentou o atleta que marcou 16 gols em 18 partidas da última edição do Campeonato Chinês.

Meia atribui evolução a Cannavaro

Quando foi contratado por empréstimo pelo Guanghzou Evergrande, Anderson Talisca se deparou com um país de cultura, língua e tradições diferentes. Dentro de campo, o atleta precisou se adaptar a um novo estilo de jogo. Quem facilitou o processo foi o treinador Fábio Cannavaro.

Campeão do mundo com a Itália em 2006 e eleito melhor jogador do planeta naquele ano, o ex-zagueiro é treinador do time chinês e tem boa relacionamento com o brasileiro. De acordo com Talisca, o técnico do time é responsável por aperfeiçoar seu posicionamento.

"Acredito que a parte tática tem sido um ponto positivo de evolução desde que comecei a trabalhar com ele, que é um treinador de alto nível. Procuro aprender diariamente e sugar o máximo possível dessa experiência fantástica que ele adquiriu nos tempos em que ainda jogava", comentou.

"Ele merece mesmo estar à frente de grandes clubes. Ainda vai dar muitas alegrias a muitas torcidas até o final da trajetória dele como treinador porque o espírito de vencedor está no sangue dele", continuou.

No Guanghzou, o camisa 9 do time divide vestiário com Paulinho, atualmente seu único companheiro brasileiro. Talisca conta que o relacionamento com o compatriota é de companheirismo. "Sou muito grato a ele pela amizade e companheirismo dentro e fora de campo. Mais um presente que o mundo da bola me deu. Paulinho é um cara fora de série. Muito amigo mesmo", comentou.

Mais Futebol