PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Ídolo na Arábia, brasileiro já ganhou iPhone de ouro e leão de presente

Carlos Eduardo, atacante do Al-Hilal, exibe leão recebido na Arábia Saudita - Arquivo pessoal
Carlos Eduardo, atacante do Al-Hilal, exibe leão recebido na Arábia Saudita Imagem: Arquivo pessoal

Brunno Carvalho

Do UOL, em São Paulo

25/02/2019 04h00

O brasileiro Carlos Eduardo está há quatro anos no Al-Hilal, um dos times mais importantes da Arábia Saudita. O período foi suficiente para que o meia virasse ídolo da equipe e se tornasse amigo de alguns príncipes do país.

A amizade proporcionou momentos curiosos, como quando foi presenteado com um filhote de leão. "Ele falou que tinha um presente para mim e veio com um leãozinho. Agradeci, mas disse que não dava", disse Carlos Eduardo. "Não teria como criar isso em casa. Ele era pequeno, mas uma hora iria crescer".

O peculiar agrado não foi o único recebido por Carlos Eduardo. A lista de presentes recebidos desde que chegou na Arábia Saudita inclui relógios e um iPhone de ouro.

A admiração dos sauditas é correspondida dentro de campo. Desde que chegou ao país, Carlos Eduardo balançou as redes 63 vezes, tornando-se o maior artilheiro estrangeiro da história do Al-Hilal. O último deles foi marcado no fim de semana, quando o brasileiro recebeu cruzamento, aplicou um 'chapéu' no adversário e mandou um voleio para o fundo das redes.

"Tem alguns gols que são bonitos na carreira, mas esse aí foi o mais bonito até hoje. A reação do elenco foi a mesma que a minha, ficaram meio espantados, porque foi um gol bonito mesmo, de placa", afirmou.

Em quatro anos, Carlos Eduardo conquistou seis títulos pelo Al-Hilal. "Minha equipe tem muitos jogadores na seleção da Arábia Saudita, então acaba ajudando, porque o nível dos árabes do meu time é muito bom".

Os bons momentos dentro de campo fizeram com que Carlos Eduardo passasse por situações curiosas. Certa vez, um amontoado de pessoas pediu para tirar foto com ele dentro de um shopping da capital Riade. O tumulto incomodou os seguranças, que o expulsaram do local.

Com mais um ano e meio de contrato com o time árabe, Carlos Eduardo não pensa em mudar de ares. "Até tive algumas coisas agora para voltar para o Brasil, mas tenho contrato aqui. Queria cumprir esse contrato e depois pensar se volto para o Brasil ou para a Europa", completou.

Esporte