PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Everton repete Arthur e vira novo "cheque em branco" do Grêmio

Everton em ação pelo Grêmio; jogador terminou ano como artilheiro da equipe - Getty Images
Everton em ação pelo Grêmio; jogador terminou ano como artilheiro da equipe Imagem: Getty Images

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

09/12/2018 04h00

Dezembro de 2017, Arthur em evidência, e o Barcelona se aproximando. Dezembro de 2018, Everton com status de principal jogador e à espera de propostas. O Grêmio encerra o segundo ano seguido sabendo que tem um destaque passível de oferta tentadora. O "cheque em branco" da vez tem atraído olhar de grandes centros da Europa.

Aos 22 anos, Everton fechou o ano como artilheiro isolado do Grêmio. Foram 19 gols em 51 partidas. Em 2017, o camisa 11 marcou 12 vezes e atuou em 61 jogos do time.

Arthur trocou o Grêmio pelo Barcelona por cerca de 33 milhões de euros (R$ 146,4 milhões, na cotação atual). O clube espanhol pagou quantia extra para levar o volante antes do previsto e topou mudar cláusulas de bônus ao time gaúcho, que ainda pode arrecadar mais pelo desempenho no Camp Nou de sua "galinha dos ovos de ouro", como Renato Gaúcho definiu o jogador ainda em 2017.

Até agora, o Grêmio recebeu apenas sondagens por Everton. As consultas sobre valores e condições para eventual negócio vieram de vários pontos da Europa. Na Inglaterra, o jogador é monitorado por vários clubes. Equipes da Itália também buscaram detalhes do contrato, mas o investimento é considerado acima dos padrões atuais no país. Na Espanha, também existem relatórios consistentes sobre as atuações do camisa 11 do tricolor gaúcho.

Everton chama atenção do mercado pela velocidade, drible a grande evolução na finalização. Monitorado pelo Manchester City desde 2013, o meia-atacante deu salto técnico na hora de concluir as jogadas e com isso balançou mais as redes recentemente. O maior número de gols fez ele ganhar ainda mais espaço no time, e a notoriedade veio a reboque.

Antes de se transformar no principal jogador do Grêmio, superando Luan e sua temporada recheada de problemas clínicos, Everton já havia motivado investida de clubes da Europa. Os dirigentes gaúchos recusaram os negócios à espera da "virada" do camisa 11.

Nos corredores da Arena, a saída de Everton é tratada como questão de tempo. O Grêmio se divide entre uma transferência em janeiro ou uma saída em agosto. A operação agora afetaria menos o time de Renato Gaúcho para 2019, mas qualquer negócio na metade do ano pode ter valores maiores envolvidos.

"Se fosse pela minha opinião, diria para o Everton ir somente no início de temporada na Europa. Com isso, ele vai ter mais tempo de se adaptar ao clube, conhecer os companheiros. Mas quem paga a conta escolhe quando leva", disse Gilmar Veloz, empresário de Everton.

De acordo com Romildo Bolzan Jr., presidente do Grêmio, a multa rescisória de Everton está estipulada em 80 milhões de euros (R$ 354,2 milhões na cotação atual), porém a saída deve ocorrer por cifra inferior a cláusula liberatória. 

Futebol