PUBLICIDADE
Topo

Notícias em primeira mão dos bastidores do futebol, informações exclusivas sobre o seu time, novidades do mercado da bola e o melhor do jornalismo esportivo em um só lugar. Só para assinantes UOL!

Compromisso político fez presidente do TJD adiar julgamento de Jailson

Jailson na cobrança de pênaltis com o Santos; goleiro teve julgamento adiado por compromisso político do presidente do TJD - THIAGO BERNARDES/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO
Jailson na cobrança de pênaltis com o Santos; goleiro teve julgamento adiado por compromisso político do presidente do TJD
Imagem: THIAGO BERNARDES/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO

Do UOL, em São Paulo

29/03/2018 04h00

Um compromisso político do delegado Antônio Olim, presidente do Tribunal de Justiça Desportiva de São Paulo (TJD-SP), foi o motivo do adiamento da sessão que julgará o recurso do goleiro Jailson, do Palmeiras, de segunda (2 de abril) para terça-feira (3). Olim, que também é deputado estadual pelo PP, estará na abertura do 62º Congresso Estadual de Municípios em Santos, com a presença de prefeitos, do governador Geraldo Alckmin e do presidente Michel Temer. Na quinta (5), ele voltará ao evento para falar sobre segurança pública.

Olim esteve no centro de uma polêmica recente envolvendo o julgamento de Jailson. O presidente do TJD insistiu em julgar a expulsão do goleiro contra o Corinthians, ocorrida em 24 de fevereiro, na mesma sessão de outros casos envolvendo o Palmeiras, o que acabou causando a demora para que o tema fosse apreciado somente em 19 de março. Condenado a três jogos de suspensão, o jogador alviverde só cumpriu dois até agora. Caso sua pena não seja reduzida no julgamento da terça, ele pode ficar fora do segundo jogo da final do Paulistão – neste caso, porém, o Palmeiras ainda teria a opção de recorrer ao STJD e pedir um novo efeito suspensivo para liberar o goleiro para a decisão. (Por Leandro Miranda)

Palmeiras tenta levar briga com Valdivia para Justiça do Trabalho

O Palmeiras tenta levar uma briga financeira com Valdivia para a Justiça do Trabalho. O chileno cobra do clube uma comissão devida à sua empresa, a Valdivia Sports, por intermediar a própria contratação.

Como o meia é o único sócio da empresa, o clube alviverde considera que o valor é remuneração, e não comissão, por isso tenta levar o caso para a esfera trabalhista. (Por Pedro Lopes)

Seleção: Roma já negocia venda de Alisson

A Roma faz jogo duro, mas já se mostra disposta a vender o goleiro Alisson, de 25 anos. Titular da seleção brasileira, o camisa 1 viu o clube italiano receber e rejeitar oferta do Liverpool de 50 milhões de libras (R$ 233,8 milhões). Agora, a negociação em andamento é com o Real Madrid, clube que seduz o atleta. O clube de Cristiano Ronaldo já fez uma primeira oferta, rejeitada pelos italianos. Desta vez, no entanto, a Roma fez uma contraproposta e aguarda nova investida dos espanhóis. Reserva imediato de Alisson na Itália, o polonês Skorupski tem pressionado para atuar de olho na vaga que está próxima de se abrir. (Por Caio Carrieri e Marinho Saldanha)

Cruzeiro: Perrella recusa ministério para focar no clube

Zezé Perrella, senador de Minas Gerais pelo PMDB, diz ter recusado uma oferta para se tornar ministro do Esporte do governo de Michel Temer. Segundo ele, a oferta foi feita por membros do partido no fim do ano passado. Ele substituiria Leonardo Picciani, mas preferiu manter-se apenas como presidente do Conselho Deliberativo do Cruzeiro. Dividido entre a cartolagem e a vida política há anos, ele tem repetido que quer abandonar a carreira como parlamentar ao fim do mandato. Perrella atua na área política desde 1999. Ele já ocupou cargos de deputado federal, deputado estadual e se tornou senador em 2011. (Por Thiago Fernandes)

Flu: Abad banca aliado e opositores citam Vinicius Jr.

Peça-chave de uma disputa política que aumenta a temperatura dos bastidores das Laranjeiras, Marcelo Teixeira, diretor esportivo da base do Fluminense, foi bancado no cargo pelo presidente Pedro Abad, ainda que nove de 12 vice-presidentes tenham pedido a sua demissão. Em reunião do Conselho Deliberativo marcada por tom elevado e troca de ofensas, opositores do dirigente questionaram o trabalho da base tricolor, considerado ruim por eles. O grupo de conselheiros usou como exemplo a venda do rubro-negro Vinicius Jr. ao Real Madrid para demonstrar que Teixeira não consegue "trazer dinheiro" para o clube. Apesar dos protestos e da contrariedade de Cacá Cardoso, seu vice-presidente, Abad está decidido a manter um de seus principais colaboradores. (Por Leo Burlá)

Jogo de lendas do Barça em PE terá Saviola e Frank de Boer

A organização do jogo entre as lendas do Barcelona e uma seleção pernambucana de veteranos, que ocorrerá em 14 de abril, na Arena Pernambuco, confirmou quem representará o clube catalão. Segundo a escalação divulgada, Saviola, Frank de Boer, Sorín, Mendieta, Abidal e Simão, além de brasileiros como Giovanni, Belletti, Edmílson e Rivaldo, estarão em campo. A ideia inicial era ter Ronaldinho Gaúcho no time, mas o ex-meia tem evento na África na mesma data e não poderá comparecer. (Por Gustavo Franceschini)

São Paulo: vice entrega petição para reunião extraordinária

Rachado com o presidente do São Paulo Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, o vice Roberto Natel vai entregar uma petição de reunião extraordinária ao presidente do Conselho Deliberativo, Marcelo Pupo, nos próximos dias. A ideia é que seja apurada a nomeação de conselheiros em cargos remunerados. Na discussão proposta por Natel, quem aceitar receber salário do Tricolor deverá se afastar do Conselho. O vice pretende fechar uma lista com cerca de 90 assinaturas. A postura de Natel gerou críticas entre integrantes da situação, que o acusaram de tumultuar o ambiente do clube às vésperas do clássico com o Corinthians. De acordo com o estatuto do clube, uma reunião deverá ser convocada em até 30 dias se existir a adesão de pelo menos 50 conselheiros. (Por José Eduardo Martins)