PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Kardec questionou elenco no vestiário para tentar virada contra o Santos

Danilo Verpa/Folhapress
Imagem: Danilo Verpa/Folhapress

Guilherme Palenzuela

Do UOL, em São Paulo

26/10/2015 18h02

O atacante Alan Kardec voltou após quase sete meses longe dos gramados, fez o gol de número 10 mil da história do clube na vitória contra o Coritiba, domingo, e deverá ser titular no segundo jogo da semifinal contra o Santos, quarta-feira, na Vila Belmiro, mesmo com a volta de Luis Fabiano. Nesta segunda-feira ele falou com a imprensa e relatou que questionou os companheiros no vestiário se acreditam que poderão reverter a derrota por 3 a 1 sofrida no Morumbi.

"Andei até perguntando para alguns atletas se eles acreditam, e todos acreditam", disse o atacante, antes de ser questionado sobre o tema. "Partiu de mim mesmo. Cheguei no vestiário, conversei com alguns, um dos primeiros foi Rodrigo Caio, Pato, alguns garotos. Acho legal, às vezes muitos não estão esperando uma pergunta como essa. Senti que eles estão bem confiantes. É essa a mentalidade. Se você quer vencer você tem que acreditar. Como grupo temos capacidade, condições", completou.

"A pergunta foi bem na lata: "Você acredita?" Se alguém dissesse naquele momento que não acredita, diria: "A gente não precisa de você". Nós temos que estar concentrados e acreditando, temos que ter o máximo de eficiência nessa partida se a gente quiser reverter o placar", explicou Kardec, sobre a tentativa de animar o elenco.

O próprio Alan Kardec admitiu que a reviravolta é improvável. Ele disse ter buscado informações sobre vitórias do São Paulo sobre o Santos na Vila Belmiro por três ou mais gols e disse que nada encontrou.

"Eu como grande curioso procurei saber quantas vezes o São Paulo conseguiu vencer na Vila por três gols ou mais, placar maior, e sinceramente não vi nenhuma partida em que isso aconteceu. Procurando rapidamente na internet, não aprofundei muito esse assunto, pelo menos nos últimos anos isso não aconteceu. Pode se transformar em história, mas acima de tudo é a classificação. Sem se apegar aos números, mas sabemos que se vencermos e se conseguirmos a classificação nós vamos conseguir um tracinho na história do São Paulo", falou.
 

Futebol