PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Inter usa discurso 'jogo a jogo' e evita projeções sobre volta à elite

O técnico Guto Ferreira já fez uma projeção, mas quer pensar jogo a jogo para subir - VINíCIUS COSTA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
O técnico Guto Ferreira já fez uma projeção, mas quer pensar jogo a jogo para subir Imagem: VINíCIUS COSTA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Do UOL, em Porto Alegre

18/10/2017 10h52

O Inter evita fazer projeções quando o assunto é a definição da volta para a primeira divisão do Campeonato Brasileiro. O discurso após o empate em 0 a 0 com Boa Esporte, terça-feira (17), mostrou um planejamento simples: viver uma rodada de cada vez.

O Colorado soma 58 pontos. Ao fim da rodada ficou três pontos na frente do vice-líder, América-MG, que também derrapou ao empatar em 0 a 0 com Brasil de Pelotas. Mas a distância em relação ao primeiro fora da zona de acesso caiu de dez para oito pontos. O quinto é atualmente o Vila Nova-GO.

A projeção, de acordo com a média de pontos conquistados pelos times que subiram da Série B desde 2006 (ano em que o atual formato foi estabelecido), abre a necessidade de mais cinco pontos apenas. Segundo cálculos do técnico Guto Ferreira seriam oito. Mas nem mesmo tal número é seguido à risca.

"É o momento de pensar no acesso, e não está definido. Faltam oito rodadas e temos uma diferença de oito pontos. É uma distância importante? É. Mas não nos garante nada. Temos jogos muito difíceis em casa e fora, mais do que nunca temos que ter desempenho e buscar incessantemente os resultados que nos levarão ao objetivo", afirmou o treinador.

O desempenho foi exatamente algo que faltou diante do Boa. Em uma jornada muito ruim, o Inter fez uma rápida autoavaliação e admitiu o desempenho aquém do esperado. D'Alessandro, Guto Ferreira e o lateral esquerdo Uendel se manifestaram criticando a atuação da equipe.

E o tropeço, mesmo que com mais um ponto na classificação, reforça a estratégia de não estabelecer uma data para subir, ou uma rodada, ou determinar um alvo de pontos a alcançar.

"Acompanhamos a cada rodada e isso muda nossa projeção. Depende muito do quinto colocado. O número pode subir ou cair. Já foi quase a 70 pontos para subir, pode ser 63, 66, 67. Não tem um número fixo que dê garantia. Então vamos jogo a jogo, rodada a rodada até conseguir confirmar isso matematicamente. Tomara que seja o quanto antes", explicou Uendel.

O próximo jogo será no sábado diante do Criciúma, fora de casa. Em seguida o Colorado volta para Porto Alegre para dois jogos, contra Ceará e CRB.

Esporte