PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Palmeiras foge do salto alto e vê jogos contra times de baixo como "finais"

Thiago Santos admitiu ansiedade pelo título brasileiro - Ale Cabral/AGIF
Thiago Santos admitiu ansiedade pelo título brasileiro Imagem: Ale Cabral/AGIF

Leandro Miranda

Do UOL, em São Paulo

17/11/2018 04h00

O Palmeiras está muito perto de confirmar o décimo título brasileiro de sua história, mas o discurso no clube é unânime: está proibido agir ou falar como se o campeonato já estivesse ganho. Com os dois próximos jogos diante de adversários da parte de baixo da tabela – o já rebaixado Paraná e o ameaçado América-MG –, o Verdão toma todos os cuidados para não "subir no salto", ainda mais depois de passar invicto por uma sequência dura no Brasileirão.

Do fim de setembro para cá, o time de Felipão enfrentou rivais de peso como Cruzeiro, São Paulo, Grêmio, Flamengo e Santos. Com a regularidade que se tornou a marca do time alviverde, manteve a sequência sem perder, que hoje já chega a 19 jogos. Agora, vira a chave para pegar times de outro perfil.

Já rebaixado antecipadamente, o Paraná vendeu o mando do jogo deste domingo (18) e vai receber o Palmeiras no Estádio do Café, em Londrina. Mesmo com o adversário não tendo mais nada para almejar na competição, a postura dos jogadores e da comissão técnica foi firme no sentido de dizer que a partida não apresentará facilidade.

Depois, na quarta-feira (21), o Palmeiras enfrenta o América-MG diante de sua torcida no Allianz Parque. Caso o Verdão vença o Paraná e o vice-líder Internacional tropece contra o Botafogo neste domingo, no Engenhão, a partida contra os mineiros pode ser o jogo do título. O América é hoje o 19º colocado, com 34 pontos, quatro a menos que o Ceará, primeiro time fora da zona do rebaixamento.

"Se você perguntar, qualquer um está muito ansioso, é um título de campeão brasileiro", disse o volante Thiago Santos. "Mas temos de pensar jogo a jogo, não podemos comemorar nada antes porque não está nada ganho. Precisamos pensar que, contra o Paraná, será um grande jogo, uma final. Ganhando, tem mais quarta-feira contra o América ainda. Não podemos entrar no clima de já ganhou porque tem 11 jogadores do outro lado querendo uma vitória também".

Controlar os nervos e a ansiedade pela taça é um dos principais desafios de Felipão nesta reta final do Brasileiro. O tema tem sido alvo de conversas frequentes com o elenco nas últimas semanas, como reconheceu o atacante Willian em entrevista coletiva. A julgar pelo posicionamento dos jogadores e pela concentração mostrada pela equipe em cada partida, a estratégia vem dando certo.

Esporte