PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Elias vê Atlético-MG imaturo em campo e diz: "Não temos time para dar show"

Siga o UOL Esporte no

Do UOL, em Belo Horizonte

14/11/2018 23h20

Elias foi sincero ao sair do campos após o triunfo do Atlético-MG sobre o Paraná, por 1 a 0, pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro. O volante crê que o resultado, mesmo com dois a mais, está de bom tamanho para o Galo e explica que o time comandado por Levir Culpi não tem condição de dar espetáculo para a torcida.

"Primeiro, a gente veio para vencer. Eu já falei isso na entrevista coletiva da última semana. A gente não vai dar show. A gente não tem time para dar show. A gente tem time para vencer os jogos e classificar a equipe para a Libertadores. A gente abriu quatro pontos do time que está abaixo. A gente sabia que era importante", disse o camisa 7 em entrevista ao Premiere FC.

A declaração surpreendente do jogador se dá pela dificuldade do Galo. Mesmo com dois nomes a mais durante todo o segundo tempo, o time não conseguiu balançar as redes de Richard. O único gol aconteceu ainda no primeiro tempo, quando ambas as equipes tinham 11 jogadores cada. Fábio Santos marcou em cobrança de pênalti.

Elias explica que a imaturidade do time mineiro é um dos motivos pelo qual o Atlético não conseguiu sair com um triunfo mais volumoso do estádio Durival Britto, em Curitiba.

"Na questão do jogo, acho que a equipe jogou bem o primeiro tempo. A gente envolveu, poderia ter feito mais gols. Depois, com um jogador a mais, a gente conseguiu rodar mais a bola. Mas quando fica dois a menos, uma equipe que já não tem mais responsabilidade no campeonato, fica mais complicado. A responsabilidade vem toda para nós. Nossa equipe é muito jovem, até certo ponto imatura. A gente acaba se precipitando em alguns lances e fica com aquele receio de tomar o contra-ataque e tomar o gol", afirmou.

"A gente veio aqui com um objetivo de vencer. Se você assistir aos treinos, quando monta duas linhas de quatro no treinamento, é difícil fazer gol. É muito difícil. Não tem espaço, eles atraem para jogar no contra-ataque. Conseguimos rodar a bola, sofremos alguns contra-ataques... Mas o mais importante é que a gente venceu", acrescentou.

Esporte