PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Atlético-MG e Botafogo empatam jogo em briga por vaga na Libertadores

Enrico Bruno e Victor Martins

Do UOL, em Belo Horizonte

29/10/2017 18h50

Atlético-MG e Botafogo têm o mesmo objetivo nesta reta final do Campeonato Brasileiro. Ambos querem uma vaga na próxima Copa Libertadores. No confronto deste domingo, pela 31ª rodada, no Independência, o empate em 0 a 0 foi melhor para o time do Rio de Janeiro. Com o resultado o Botafogo segue na sexta colocação e com seis pontos a mais do que o Galo.

Já o Atlético desperdiçou mais uma oportunidade de se aproximar do G-7. Após os empates de Vasco e Atlético-PR, diante de Flamengo e Chapecoense, o time mineiro tinha a chance de subir duas posições e ficar apenas três pontos abaixo da zona de classificação para a próxima Libertadores. Oportunidade perdida, mais uma vez dentro de casa.

João Paulo lidera o Botafogo em Belo Horizonte

Vestindo a camisa 10, o meia João Paulo atuou um pouco mais recuado contra o Atlético e foi o líder do Botafogo dentro de campo. O jogador foi determinante para a boa marcação feita pela equipe carioca e ainda deu muita qualidade na saída de bola da defesa para o ataque. A tarde só não foi melhor para João Paulo por causa de um lance no primeiro tempo, em que precisou fazer uma falta para parar um contra-ataque e recebeu o cartão amarelo.

Em outra rotação, Valdívia foi bastante desarmado

Com apenas dois minutos de jogo o Botafogo conseguiu chegar duas vezes com certo perigo ao gol defendido por Victor. Mas duas ocasiões foram bolas recuperadas em cima de Valdívia. O meia do Atlético começou o jogo desligado, errando bastante. Com o tempo, os erros diminuíram, mas não pararam. Valdívia parecia estar numa rotação diferente dentro de campo, sempre mais lento do que os marcados. A atuação ruim durou somente 45 minutos e Cazares entrou no jogo após o intervalo.

Fred passa em branco e segue atrás de Zico

O Botafogo é o time que mais levou gols de Fred, mas em 2017 a equipe carioca conseguiu anular o centroavante. Presente em três dos quatro duelos entre Atlético e Botafogo na temporada, Fred não fez gols na sua principal vítima. Assim, o camisa 9 do Galo segue com 134 gols na história do Campeonato Brasileiro, um atrás de Zico, que tem 135 gols marcados e é o quarto maior artilheiro na história da competição.

Dobradinha Victor Luis e Gilson

Uma das forças do Atlético é o lado direito. Ao mesmo tempo o setor é o mais atacado do clube mineiro, já que o lateral Marcos Rocha apoia bastante. A estratégia de Jair Ventura para neutralizar o lado direito atleticano e tentar aproveitar os espaços no setor foi a escalação de Gilson. Lateral esquerdo de origem, o jogador atuou como meia, mas fazendo uma dobradinha com Victor Luis. Em alguns momentos Gilson voltava mais, com Victor Luis ficando mais no meio.

Primeiro tempo com apenas uma finalização no gol

Um Botafogo muito organizado, mas contente com o empate, contra um Atlético bastante pressionado quando joga como mandante. O resultado foi um primeiro tempo de poucas chances para os dois lados. Tanto que a etapa inicial teve apenas uma finalização no rumo do gol. Após boa troca de passes do ataque atleticano, Fábio Santos cruzou e Valdívia cabeceou para defesa de Gatito, sem muita complicação.

Dentro do G-7, Botafogo se mostra satisfeito com empate

Jogando fora de casa, contra um time que também luta por uma vaga na próxima Copa Libertadores, o empate pode ser considerado bom resultado para o Botafogo. Pelo menos foi essa a impressão que o time carioca passou diante do Atlético. Sempre bem postado na defesa, não permitiu que o clube mineiro criasse muitas chances de gol. Por outro lado, a cautela na defesa fez com que o Botafogo atacasse poucos. A tentativas foram nos contra-ataques, no melhor deles o atacante Guilherme parou em Victor.

Atlético peca na falta de pontaria

Com poucas oportunidades criadas diante do Botafogo, o Atlético não conseguiu aproveitar as raras chances que teve de finalizar. Dos 11 arremates a gol do time atleticano, somente um foi no rumo do gol defendido por Gatito, ainda no primeiro tempo. Na etapa final, na melhor chance do Galo, Otero finalizou por cima, após receber belo passe de Fred.

Rafael Moura entra bem, mas para na trave

Aos 35 minutos do segundo tempo o técnico Oswaldo de Oliveira mudou a forma de o Atlético jogar. Colocou Rafael Moura no lugar de Otero. Com dois centroavantes, o Galo teve mais força ofensiva e conseguiu pressionar o Botafogo nos momentos finais do jogo. Rafael Moura entrou bem e foram duas chances para marcar. Na primeira a bola bateu na trave e na segunda, de cabeça, foi para fora.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-MG 0 X 0 BOTAFOGO

Data: 29 de outubro de 2017, domingo
Horário: 17h (de Brasília)
Motivo: 21ª rodada do Campeonato Brasileiro
Local: Independência, em Belo Horizonte (MG)
Público: 17.086 presentes
Renda: 274.880,00
Árbitro: Sandro Meira Ricci (FIFA/SC)
Assistentes Emerson Augusto de Carvalho (FIFA/SP) e Marcelo Carvalho Van Gasse (FIFA/SP)
Cartões amarelos: Elias (CAM) João Paulo e Joel Carli (BOT)

ATLÉTICO-MG
Victor, Marcos Rocha, Leonardo Silva, Gabriel e Fábio Santos; Adilson, Elias, Otero (Rafael Moura, aos 35 do 2º) e Valdívia (Cazares, intervalo); Robinho (Clayton, aos 45 do 2º) e Fred.
Técnico: Oswaldo de Oliveira.

BOTAFOGO
Gatito, Arnaldo, Carli, Igor Rabello e Victor Luis (Guilherme, aos 16 do 2º); Bruno Silva, Matheus Fernandes, João Paulo e Gilson; Rodrigo Pimpão (Dudu Cearense, aos 38 do 2º) e Brenner (Vinicius Tanque, aos 25 do 2º).
Técnico: Jair Ventura.

Esporte