PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Volta de Nenê ao time teve cobrança da torcida do Vasco e carinho de Valdir

Bruno Braz

Do UOL, no Rio de Janeiro

27/08/2017 04h00

Vindo de rusgas com o ex-técnico Milton Mendes e quase tendo saído do clube, Nenê retornou ao time titular do Vasco por meio do interino Valdir Bigode. Idolatrado em outros tempos, o meia não encontrou uma torcida afável no Maracanã antes do clássico com o Fluminense. Magoada com o pedido de desligamento do clube e por, recentemente, ter “cavado” um retorno ao Espanyol (ESP), os cruzmaltinos deram seu recado ao jogador.

Em minoria por conta da divisão da carga de ingressos, onde só tinham direito a 5% dos bilhetes, os vascaínos alertaram o veterano: “Nenê, preste atenção, muito respeito com a camisa do Vascão!”, cantaram antes da bola rolar.

Em campo, porém, o meia teve um bom desempenho, quase fez um golaço de calcanhar no segundo tempo e ganhou aplausos. Auxiliar técnico que esteve à beira do gramado no clássico, Valdir Bigode foi só elogios e já antecipou sua chancela ao novo treinador, Zé Ricardo:

"Nenê precisava, como todo jogador, de pessoas ao lado em um momento conturbado. Conheço desde a chegada, sei dos sofrimentos, das dores. Pontuei as dificuldades e disse que se eu fosse o treinador ele ia jogar. E jogou. Deixou o campo morto. Fez tudo que podia fazer. Precisa de respeito, carinho e compreensão. Me ajudou muito. Ajudou muito o Vasco. O Zé Ricardo vai me perguntar e eu vou dizer: esse é o cara".

Nenê, por sua vez, dedicou a vitória ao auxiliar e também aos torcedores, mesmo com a cobrança.

“É uma alegria muito grande. É um cara que está sempre com a gente, independente do treinador. É um cara que merece. Ele é do Vasco, ama o Vasco. Essa vitória é não só para ele como para os torcedores, que fizeram uma festa e nos apoiaram hoje”, disse ao Sportv.

Aos 32 minutos do segundo tempo, Nenê foi substituído por Paulinho alegando cansaço. Ele, que chegou a ficar treinando em separado enquanto aguardava uma proposta para deixar o clube, alegou ainda faltar ritmo.

“Muito prazeroso de ajudar. Podia ter feito um golzinho, mas fui muito bem, ainda falta um pouco de ritmo, mas estou muito feliz de poder fazer um jogo bom e ajudar o nosso time”, declarou.

Com o resultado, o Fluminense desperdiçou a oportunidade de entrar no G-4, a zona de classificação para a Libertadores.

Esporte