PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Em noite de Jô e Cássio, Corinthians bate a Ponte e abre 9 pontos na ponta

Setor norte Arena Corinthians vazio - Diego Salgado/UOL Esporte - Diego Salgado/UOL Esporte
Setor norte ficou vazio; fruto de punição do STJD pelos sinalizadores usados por torcedores
Imagem: Diego Salgado/UOL Esporte

Diego Salgado

Do UOL, em São Paulo

08/07/2017 20h59

O Corinthians não para de acumular vitórias no Campeonato Brasileiro. Na noite deste sábado, em Itaquera, a Ponte Preta tornou-se mais uma vítima do líder da competição ao ser derrotada por 2 a 0. Jadson e Jô marcaram os gols corintianos. Cássio salvou a equipe mais uma vez ao defender um pênalti de Lucca quando o placar já estava construído.

Com a vitória, o Corinthians abre nove pontos de vantagem sobre o segundo colocado do Brasileirão, o Flamengo, que bateu o Vasco por 1 a 0 em São Januário (são 32 pontos contra 23). Neste domingo, o Grêmio pode reassumir a vice-liderança - o time gaúcho, se vencer o Avaí em casa, vai a 25 pontos.

A Ponte Preta, por outro lado, segue estacionada com 15 pontos. A equipe comandada por Gilson Kleina termina o sábado na 12ª colocação, depois de 12 jogos disputados.

Na próxima rodada, o Corinthians enfrenta o Palmeiras no Allianz Parque. O clássico será disputado na quarta-feira. A Ponte, por sua vez, recebe o Bahia no Moisés Lucarelli, no mesmo dia.

O melhor: Jô e Cássio

Jô Corinthians Ponte Preta - Miguel Schincariol/Getty Images - Miguel Schincariol/Getty Images
Jô anotou o segundo gol do Corinthians na partida - já são 7 no Brasileiro
Imagem: Miguel Schincariol/Getty Images

O camisa 7 mostrou mais uma vez que é o jogador mais importante do time corintiano. Primeiro, na jogada que é sua especialidade: o pivô para os meias e volantes. No segundo tempo, ainda marcou o segundo gol corintiano - o 14º dele na temporada e o sétimo no Brasileirão. Já o goleiro salvou a equipe mandante de sofrer uma pressão do adversário na reta final da etapa final (de quebra, chegou à quarta defesa de pênalti em 2017)

O pior: Renato Cajá

No 150º jogo com a camisa da Ponte Preta, o meio-campista não conseguiu ser o jogador de criação do time de Campinas. Sem ritmo, sobrou a ele as bolas paradas. Mas nem nessa jogada ele obteve êxito.

Sheik reencontra a torcida corintiana

O atacante de 38 anos, herói do Corinthians no título da Libertadores, jogou pela primeira vez contra o Corinthians na capital paulista. A torcida corintiana aplaudiu o ouvir o nome do jogador na escalação da Ponte. Sheik ainda cumprimentou o técnico Fábio Carille antes do apito inicial, assim como todo banco rival.

E dá trabalho em campo

Emerson Sheik Corinthians Ponte Preta - Miguel Schincariol/Getty Images - Miguel Schincariol/Getty Images
Emerson Sheik voltou a enfrentar o Corinthians e recebeu aplausos dos torcedores
Imagem: Miguel Schincariol/Getty Images

Atuando com liberdade pelo lado direito, Sheik tornou-se o jogador mais perigoso da Ponte na partida. Nos primeiros minutos de jogo, os jogadores do Corinthians tiveram trabalho e só pararam o atacante com falta - foram três em poucos minutos.

Corinthians volta a encontrar dificuldade

Assim como ocorreu na partida diante do Botafogo, o time de Fábio Carille encarou um adversário com extrema aplicação tática. Com a marcação cerrada, a Ponte conseguiu neutralizar as principais jogadas do líder do Brasileirão. Restou ao Corinthians a bola longa para o pivô  

Romero arrisca bicicleta

Com muitas dificuldades em encontrar espaços no campo de ataque, o Corinthians só conseguiu dar o primeiro chute ao gol aos 20, com Gabriel. No lance seguinte, o atacante Romero quase marcou um golaço de bicicleta ao concluir na área. A bola, no entanto, saiu pela linha de fundo.

Time corintiano melhora e marca no fim do 1º tempo

Usando e abusando da bola alta para Jô, o Corinthians conseguiu furar o bloqueio imposto pela Ponte Preta. Depois de uma defesa impressionante de Aranha em conclusão de cabeça do centroavante, Arana cruzou rasteiro para Jadson, que bateu de primeira no alto.

Jô decide no começo da etapa final

O Corinthians voltou embalado para os últimos 45 minutos de partida. O reflexo disso pôde ser visto logo aos dois minutos. Jadson lançou Rodriguinho na direita. O meia cruzou na medida para Jô, que bateu de primeira para fazer 2 a 0. 

Cássio Salva o Corinthians mais uma vez

Aos 25 minutos do segundo tempo, o goleiro corintiano evitou um gol de pênalti de Lucca ao buscar a bola no canto direito. Com isso, o goleiro evitou uma pressão ponte-pretana e chegou à marca de quatro defesas em penalidades máximas em 2017. Na parte final do jogo, o goleiro ainda parou Emerson Sheik, na melhor chance visitante no fim do duelo.

Pendurados se salvam

O time da capital entrou em campo com três jogadores pendurados com dois cartões amarelos: Gabriel, Rodriguinho e Jô - além do trio, o reserva Marquinhos Gabriel. Todos, porém, passaram ilesos no jogo e poderão enfrentar o Palmeiras fora de casa na próxima quarta-feira.

Série invicta já é a quarta maior da história

Com a vitória sobre a Ponte, o Corinthians alcançou a marca de 26 partidas sem perder. O último revés ocorreu no dia 19 de março, contra a Ferroviária (1 a 0). Desde então, o time venceu 16 vezes, com dez empates.

Arena desfalcada

Na noite deste sábado, o Corinthians teve de cumprir uma punição por uso de sinalizadores na torcida organizada. Por isso, o setor Norte do estádio alvinegro ficou fechado - a área tem capacidade total de aproximadamente sete mil torcedores. Apesar disso, mais de 30 mil espectadores assistiram à partida.

FICHA TÉCNICA

CORINTHIANS 2 X 0 PONTE PRETA

Data: 8 de julho de 2017, sábado
Horário: 19h (de Brasília)
Local: Arena Corinthians, em São Paulo (SP)
Público: 32.877 pagantes
Renda: R$ 1.974.902,30
Competição: Campeonato Brasileiro (12ª rodada)
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (MG)
Auxiliares: Guilherme Dias Camilo e Pablo Almeida da Costa (ambos de MG)
Cartões amarelos: Pablo e Guilherme Arana (Corinthians); Jadson (Ponte Preta)

Gols: Jadson, aos 46 minutos do primeiro tempo, e Jô, aos dois minutos do segundo tempo.

CORINTHIANS: Cássio; Léo Príncipe, Balbuena, Pablo e Guilherme Arana; Gabriel e Maycon (Camacho), Jadson (Pedrinho), Rodriguinho e Romero; Jô (Kazim). Técnico: Fábio Carille

PONTE PRETA: Aranha; Nino Paraíba, Marllon, Rodrigo e Fernandinho; Fernando Bob, Jádson (Lins), Elton (Wendel) e Renato Cajá (Claudinho); Lucca e Emerson Sheik. Técnico: Gilson Kleina

Esporte