PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Sem PM em 2013, Arena Joinville reforça segurança para decisão do Vasco

Bruno Braz

Do UOL, no Rio de Janeiro

22/11/2015 06h00

Tido como um estádio simpático, a Arena Joinville quer apagar de vez as péssimas cenas de barbárie que marcaram o rebaixamento do Vasco em 2013. Novamente recebendo o Cruzmaltino em jogo que pode decretar uma nova queda para a Série B, o estádio terá uma segurança reforçada e contará com o apoio da Polícia Militar neste domingo, algo que não aconteceu naquela fatídica partida contra o Atlético-PR, que deixou dezenas de feridos e chocou o país.

Ciente do alto risco que envolve o duelo com o Joinville, já que as duas equipes estão com a corda no pescoço no Campeonato Brasileiro, o 8º Batalhão praticamente dobrará seu efetivo em relação aos jogos normais do time da casa.

“Já foi feito o planejamento. Normalmente trabalhamos com 50 a 70 policiais, mas como tem esta situação envolvendo rebaixamento, a possibilidade de virem torcedores que participaram daquele jogo de 2013, estaremos reforçando nosso efetivo para cerca de 100 policiais. Serão cerca de 60 na área externa e os demais dentro da Arena”, informou ao UOL Esporte o major Paulo Grams.

Naquela ocasião, por determinação do Ministério Público, o jogo entre Vasco e Atlético-PR aconteceu sem a presença de policiais militares e com apenas 90 seguranças particulares. As duas torcidas ficaram separadas por apenas uma corda, o que foi insuficiente para evitar o confronto, que ocorreu ainda no primeiro tempo, paralisou a partida e deixou dezenas de feridos e presos. Somente depois do caos instalado, a PM foi acionada e acessou o estádio, contendo a pancadaria.

Além da Polícia Militar, a Companhia de Patrulhamento Tático – uma espécie de Batalhão de Choque – ficará de prontidão em caso de nova emergência na Arena Joinville neste domingo.
 
Cabe lembrar que a principal organizada do Vasco envolvida na briga, a “Força Jovem”, está suspensa dos estádios brasileiros pelo Ministério Público e está impedida de entrar na Arena com uniformes, bandeiras, faixas, instrumentos e qualquer tipo de adereço que faça alusão à torcida. Alguns dos seus membros que participaram da barbárie cumprem atualmente punição imposta pela Justiça e precisam se apresentar à delegacia nos horários dos jogos do Cruzmaltino.

O Vasco será rebaixado caso seja derrotado para o Joinville e Avaí e Figueirense vençam suas respectivas partidas. Já para o time da casa, só a vitória interessa. Em caso de empate o JEC já cairá.

Arena Joinville segue tendo casos de briga
Embora atualmente a Arena Joinville conte com a Polícia Militar, casos de briga no estádio seguem acontecendo. No Campeonato Brasileiro de 2015, ao menos dois foram registrados. Um na partida entre Joinville e Figueirense, envolvendo a torcida do time de Florianópolis com policiais militares na arquibancada.

A outra foi no duelo entre Joinville e Corinthians e aconteceu do lado de fora do estádio, quando corintianos acessaram sem querer o setor errado e se envolveram em conflito com uma organizada do JEC. Na intervenção da PM, um torcedor levou um tiro de bala de borracha em um dos olhos.

Briga em Joinville marcou última rodada do Campeonato Brasileiro de
 
 
 
2013
Veja Álbum de fotos

JOINVILLE X VASCO
Local: Arena Joinville, em Joinville (SC)
Hora: 17h
Árbitro: Marcelo Aparecido de Souza (SP)
Auxiliares: Emerson Augusto de Carvalho (SP) e José Javel Silveira (RS)

Joinville
Agenor, Edson Ratinho, Guti, Rafael Donato e Diego; Naldo, Kadu, Lucas Crispim e Marcelinho Paraíba; Kempes
Técnico: PC Gusmão

Vasco
Martín Silva, Madson, Luan, Rodrigo e Julio Cesar; Diguinho, Serginho, Andrezinho e Nenê; Rafael Silva e Riascos (Jorge Henrique)
Técnico: Jorginho

Esporte