PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Acender vela e rescisão. O que dizem os candidatos no Palmeiras após vexame

Wlademir Pescarmona será candidato à presidência do Palmeiras - Fabio Menotti/Divulgação/Palmeiras
Wlademir Pescarmona será candidato à presidência do Palmeiras Imagem: Fabio Menotti/Divulgação/Palmeiras

Danilo Lavieri

Do UOL, em São Paulo

22/09/2014 12h28

Depois de mais um vexame para a história do clube, desta vez para o Goiás por um placar de 6 a 0, os palmeirenses intensificaram os questionamentos na atual diretoria e também nas chapas dos presidenciáveis, que concorrerão nas eleições em novembro deste ano.

Paulo Nobre, atual presidente, foi o único que não quis se pronunciar. O UOL Esporte mandou e-mail, mensagem de texto, em aplicativo de comunicação e tentou ligação. Todas sem resposta.

Wlademir Pescarmona, um dos nomes da oposição, disse que nem sabe o que dizer sobre o que viu na televisão. Ele afirmou que o 6 a 0 é emblemático e representa a sucessão de erros da atual gestão.

"Eu sinceramente nem sei se é a melhor hora de falar. Eu estou muito abalado, muito decepcionado, profundamente triste. Isso acaba sendo o reflexo de uma gestão que errou desde o primeiro dia, sendo mesquinha, não ouvindo conselhos, achando que ia resolver tudo sozinha", disse o ex-diretor de futebol.

"Não sei o que vai acontecer. Eu quero assumir o Palmeiras na primeira, porque na segunda vai ser um desastre para a nossa história. É acender uma vela", afirmou o candidato.

Luiz Carlos Granieri é outro presidenciável que não se conformou com o que viu no Serra Dourada. Após assistir à tragédia de casa, com a família, ele afirmou que sua sugestão fica por conta da rescisão de contrato com alguns jogadores, sem citar nomes.

"Eu não entendi até agora o que aconteceu, é muito, muito triste ver o Palmeiras assim. Mas temos que ter horas de separar o palmeirense de um gestor, de alguém que vá comandar o clube", iniciou Granieri.

"Tem jogadores que não podem mais atuar no time, não têm condição. Eu como presidente iria conversar com a comissão e rescindir contrato com atletas independentemente do que isso refletiria. Tem atletas que estão prejudicando o clube e não tem condições de vestir a camisa do Palmeiras. Isso também atrapalha o resto do elenco", finalizou.

Esporte