PUBLICIDADE
Topo

Fórmula 1

De Dakar a galinha atropelada: as aventuras de Alonso nos anos longe da F1

Antes de voltar à F1, espanhol venceu o Mundial de Endurance e viveu poucas e boas nas etapas de rali - Mark Thompson/Getty Images
Antes de voltar à F1, espanhol venceu o Mundial de Endurance e viveu poucas e boas nas etapas de rali Imagem: Mark Thompson/Getty Images

Arthur Sandes

Do UOL, em São Paulo

20/03/2021 04h00

A Fórmula 1 pode ser a elite do automobilismo, mas, naturalmente, não é o único campeonato desafiador para um piloto; e isso Fernando Alonso provou com maestria nos últimos dois anos. Enquanto esteve longe da F1, o bicampeão experimentou de tudo: ganhou corridas tradicionais, aventurou-se em etapas de rali e viveu episódios tragicômicos —como ter atropelado uma galinha da angola na África do Sul.

Após deixar a McLaren e a Fórmula 1, no final de 2018, Alonso concentrou esforços no Mundial de Endurance da FIA (WEC), do qual acabaria campeão. Ele já havia tornado público o desejo de disputar "corridas icônicas" e foi atrás disso: em 2019, ganhou as 24 Horas de Daytona, venceu as 24 Horas de Le Mans pela segunda vez e também as 6 Horas de Spa-Francorchamps.

Superado o desafio das provas de resistência, o espanhol escolheu um novo objetivo: os ralis. Começou testando um carro da Toyota e apenas alguns meses depois se tornou o primeiro campeão de Fórmula 1 a disputar o Rally Dakar, em 2020.

Durante a preparação para o Dakar, Alonso viveu experiências bem diferentes de uma corrida de F1. Em uma etapa na África do Sul (da Lichtenburg 400), ele e o copiloto sofreram com vários pneus furados, excesso de poeira dos carros da frente e um problema insólito: perderam o para-brisas após atropelar uma galinha-d'angola. Por causa disso, tiveram que seguir com o vento no rosto (veja no vídeo abaixo).

No próprio Rally Dakar, na Arábia Saudita, Fernando Alonso capotaria o carro ao tentar descer uma duna. No entanto, o acidente não causou grandes problemas, ele e o copiloto saíram ilesos e puderam seguir na disputa. A meta da dupla era simplesmente completar o rali, e a 13ª posição ficou muito acima das expectativas. Tanto que o espanhol avisou: "Se voltar ao Dakar no futuro, será para tentar vencer".

Antes de retornar à Fórmula 1, Alonso ainda conseguiu completar as 500 Milhas de Indianápolis pela primeira vez —nas outras duas participações, tinha tido um problema no motor e uma não-classificação. Por fim, no mês passado, sofreu um acidente feio de bicicleta e teve de operar a mandíbula. Nada que o tirasse da pré-temporada da F1, mas ele já revelou que terá de fazer mais uma cirurgia no final do ano.

O retorno de Alonso devolve à F1 um grid com quatro campeões mundiais: Lewis Hamilton, Sebastian Vettel, Kimi Raikkonen e o próprio espanhol. A temporada começa oficialmente nos treinos livres de sexta-feira (26), o início do final de semana do GP do Bahrein, marcado para 12 horas (de Brasília) do próximo domingo (28).

Fórmula 1