PUBLICIDADE
Topo

Surfe 360°

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Virou rotina!!! Ninguém segura o time brasileiro!!!

Filipe Toledo e Tatiana Weston-Webb comemoram vitória na etapa da Austrália - Cait Miers/World Surf League via Getty Images
Filipe Toledo e Tatiana Weston-Webb comemoram vitória na etapa da Austrália Imagem: Cait Miers/World Surf League via Getty Images
Thiago Blum

É jornalista esportivo desde 1992, mas acompanha o surfe há quatro décadas. Trabalhou por 19 anos na ESPN e atualmente é editor de esportes do Jornal da Band. Cobriu cinco Copas do Mundo e cinco edições dos Jogos Olímpicos.

Colunista do UOL

10/05/2021 13h35

Resumo da notícia

  • Domínio brasileiro na etapa de Margaret River
  • Filipe Toledo vence na Austrália e pula para 3º no ranking
  • Tatiana Weston-Webb é campeã e assume vice-liderança da classificação geral
  • Brasil é favorito para ganhar medalhas na Olimpíada de Tóquio
  • Medina, Italo e Filipe nas primeiras posições do ranking da WSL
  • Em 4 etapas da temporada, Brasil venceu 3 no masculino e uma no feminino

É assistir, torcer, vibrar... e comemorar o título.

No circuito mundial tem sido cada vez mais assim.

Como diz a canção, "We are the champions, no time for losers".

Os números das últimas 3 temporadas da competição masculina são claros.

2018: 10 finalistas, 9 títulos.

2019: 12 finalistas, 6 títulos.

Por enquanto em 2021: 5 finalistas, 3 títulos.

O capítulo mais novo foi em Margaret River, na Austrália.

Filipe Toledo matou a saudade do alto do pódio.

Italo Ferreira e Gabriel Medina já haviam vencido na temporada.

E os 3 lideram o ranking mundial.

Um domínio absoluto e impressionante, mas não surpreendente.

Medina é bicampeão mundial, Italo o atual... e ainda teve a conquista de Adriano de Souza em 2015.

Quem acompanha o tour já se acostumou.

Mas quem disse que não teve novidade?

Desta vez, deu Brasil também na chave feminina.

Tatiana Weston-Webb - que está entre as melhores do mundo faz tempo e vinha rondando as finais, quebrou a barreira do vice e levantou a taça nas desafiadoras e pesadas ondas do oeste australiano.

Assumiu a vice-liderança na classificação geral e vai brigar pelo título inédito.

Quer mais?

A Olimpíada de Tóquio tá chegando, vai ser a estreia do surfe como esporte olímpico.

Se somos favoritos? Demais!! E dá pra pensar em 4 medalhas.

Gabriel Medina e Italo Ferreira serão os representantes no masculino. Se um deles se lesionar, Filipe Toledo é o reserva.

Tati também vai estar lá, acompanhada da não menos experiente e craque Silvana Lima.

Como 2021 começou com eventos na Austrália, todo mundo já está adaptado com o horário.

O fuso do Japão vai ser fichinha.

Que seja mais uma vez sentar... vibrar... e ouvir o hino brasileiro!!!!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL