PUBLICIDADE
Topo

Rodrigo Coutinho

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Flamengo, Palmeiras e Argentinos Juniors ''puxam a fila'' na Libertadores

Rodrigo Coutinho

Rodrigo Coutinho é jornalista e analista de desempenho. Acredita que é possível abordar o futebol de forma aprofundada e com linguagem acessível a todos.

Colunista do UOL

07/05/2021 15h04

Finalizada a 3ª rodada da fase de grupos da Libertadores, quatro equipes conseguiram manter os 100% de aproveitamento. Três delas, porém, Flamengo, Palmeiras e Argentinos Juniors, lideram a competição no que diz respeito ao desempenho. Já os equatorianos vêm um pouco abaixo, no mesmo patamar de São Paulo e Internacional. O Atlético Mineiro cresceu e o Boca Juniors estagnou nesta semana. Confira a análise de cada grupo após 48 jogos observados.

01 - Rodrigo Coutinho - Rodrigo Coutinho
O status de cada equipe neste momento
Imagem: Rodrigo Coutinho

Grupo A - Palmeiras sobra. Del Valle e Defensa lutam.

Mesmo sem ser brilhante, o Palmeiras mais uma vez colocou em prática um jogo baseado na exploração de debilidades do time adversário. Desta vez a vítima foi o Defensa y Justícia, que não conseguiu superar os muitos desfalques por Covid-19, mas fez um jogo competitivo. Grande atuação de Rony, e Luiz Adriano ''brincando'' ao trabalhar como pivô. Mostra-se consistente o Verdão.

02 - Cesar Greco - Cesar Greco
Rony comemora com Luiz Adriano seu gol em Defensa y Justicia x Palmeiras
Imagem: Cesar Greco

O Independiente del Valle se recuperou da goleada sofrida na 2ª rodada e atropelou o Universitário. O time peruano confirmou o status de um dos piores da competição. 4x0 foi até pouco para os equatorianos. Del Valle e Defensa vão brigar pela segunda vaga nas oitavas. Ambos fazem dois jogos fora de casa, mas o Independiente recebe o Palmeiras em Quito na próxima terça.

Grupo B - Afirmação colorada. Bolivianos surpreendem

Depois da estreia abaixo da média, o Internacional engrenou! Duas goleadas e atuações incontestáveis em casa. Taison voando em seu retorno ao clube. Jogadores mostrando entendimento da proposta implementada por Miguel Ángel Ramirez. Vai se classificar sem sustos e pode crescer bastante. Já se estabelece num segundo escalão do torneio neste momento.

03 - Ricardo Duarte/SC Internacional - Ricardo Duarte/SC Internacional
Taison estreou muito bem contra o Olímpia
Imagem: Ricardo Duarte/SC Internacional

O Always Ready aparece como principal candidato a segunda vaga. Dentro de casa é forte e fora é competitivo. Bom trabalho do técnico Omar Assad, mesmo em pouco tempo no comando. Time com padrão interessante na parte ofensiva. Tem mais repertório do que o tradicional Olímpia, que não convence no ataque e possui problemas defensivos. O Táchira também é forte em casa, mas tecnicamente fica devendo. Também pode surpreender. Tudo aberto ainda!

Grupo C - Barcelona desponta e o Santos sonha

Competitivo e organizado, o Barcelona de Guayaquil desbancou o Boca Juniors e lidera o grupo com 100% de aproveitamento. Não fez uma partida tão boa quanto as duas primeiras, mas foi mais agressivo que os argentinos no ataque. Conta com um quarteto azeitado. Damián Diaz, Emmanuel Martinez e Hoyos preparam as jogadas para o artilheiro Carlos Garcés. Os laterais também participam bem.

04 - Divulgação/Libertadores - Divulgação/Libertadores
Santos vai precisar vencer o Boca Juniors se quiser manter-se vivo na Libertadores
Imagem: Divulgação/Libertadores

A derrota do Boca gerou expectativa no Santos, que recebe o time argentino na Vila Belmiro terça-feira. Mesmo perdendo, os Xeneizes mostraram um futebol competitivo. Organizados na defesa e perigosos no contra-ataque depois da entrada de Tévez. Estão num nível acima do Peixe, que ainda vai brigar para não cair no Paulistão antes. O The Strongest apresentou mais uma vez um nível lamentável de jogo. Muito vulnerável na defesa e sem força ofensiva. Saco de pancadas do grupo!

Grupo D - Todo mundo vivo

É a chave mais embolada até aqui. Os líderes River Plate e Fluminense têm apenas cinco pontos. Não perderam, mas também não convenceram. Oscilam o desempenho, o que para o Tricolor é compreensível, mas que chama a atenção nos ''Millonarios''. Encontrar o equilíbrio é a chave para o Fluminense. Ser mais agressivo no ataque, mas sem perder a consistência defensiva é necessário para ir longe.

05 - SANTIAGO ARCOS/CONMEBOL LIBERTADORES - SANTIAGO ARCOS/CONMEBOL LIBERTADORES
Jogadores cercam árbitro após pênalti inexistente; Fluminense foi prejudicado na Libertadores
Imagem: SANTIAGO ARCOS/CONMEBOL LIBERTADORES

Os colombianos Santa Fé e Junior também possuem questões a serem ajustadas. O time de Bogotá sofre para criar, mesmo tentando a posse de bola e um jogo de aproximação no campo de ataque na maioria das vezes. O clube de Barranquilla tem penado com desfalques importantes, mas falta mais regularidade dentro de uma partida. Cenário muito aberto. Tudo pode acontecer!

Grupo E - Deve dar a lógica

Mesmo apresentando um futebol aquém diante do Racing, o São Paulo tem saldo positivo pelo que mostrou nas duas primeiras rodadas. Segue como favorito ao primeiro lugar em um grupo que tem Sporting Cristal e Rentistas abaixo no ponto de vista técnico. Os dois azarões até possuem alguns bons valores e organização coletiva, mas não dão a menor pinta que vão subverter a lógica.

06 - Staff Images / CONMEBOL - Staff Images / CONMEBOL
Dani Alves, jogador do São Paulo, queixa-se de dor em jogo contra o Racing (ARG)
Imagem: Staff Images / CONMEBOL

O Racing ganhou moral depois da atuação diante do São Paulo. Foi melhor a maior parte do tempo e corrigiu algumas lacunas defensivas que tiraram pontos importantes contra o Rentistas. Tem levado muito perigo nas bolas paradas ofensivas e circula a bola com velocidade no ataque. Possui um elenco bastante homogêneo. Sem nenhum craque, mas bom nível e equilíbrio entre titulares e reservas

Grupo F - É o ''Bicho''

Desta chave vem a maior surpresa da atual edição da Libertadores. O Argentinos Juniors pode se equiparar a Flamengo e Palmeiras pelo que jogou nessas três rodadas. O estilo é bem diferente da técnica rubro-negra e da consistência palmeirense. Trata-se de uma equipe muito aguerrida para marcar, rápida para circular a bola, e com Ávalos, o centroavante, jogando muita bola. Pode ir longe se seguir essa batida, mesmo com limitações técnicas.

07 - Miguel Rojo/AFP - Miguel Rojo/AFP
Gonzalo Bergessio, do Nacional
Imagem: Miguel Rojo/AFP

A rodada marcou a recuperação da Universidad Católica, que ao menos foi competitiva e mereceu vencer o Nacional. O time uruguaio tem muitos problemas defensivos e no ataque falta repertório. Alejandro Cappuccio tem pouquíssimo tempo de trabalho. Cenário ideal para o Atlético Nacional ficar com a segunda vaga, desde que resolva suas oscilações e cresça coletivamente.

Grupo G - Flamengo dispara. Vélez e LDU se ''matam''

O Flamengo segue encantando em momentos de seus jogos. Fez um 1º tempo impecável diante da LDU. Caiu naturalmente no 2º tempo em virtude da altitude, mas se recuperou e venceu no fim. Tem o melhor ataque da competição ao lado de Inter e Palmeiras, mas fez os gols contra adversários mais difíceis em média. Segue com problemas defensivos. No ataque o time vai crescendo. É o futebol mais vistoso da competição.

08 - Alexandre Vidal / Flamengo - Alexandre Vidal / Flamengo
Gabigol, atacante do Flamengo, celebra gol sobre a LDU
Imagem: Alexandre Vidal / Flamengo

O Vélez, mesmo sem convencer, conseguiu pontos importantes diante do competitivo time do Union la Calera. Os chilenos já parecem eliminados, mas podem complicar qualquer um dos três adversários no ''returno''. A LDU terá dois jogos fora e um em casa para manter a segunda posição. Fará um confronto direto contra o Vélez na Argentina. Duelo que deve ser quentíssimo. Equipes com características diferentes e propensão ofensiva.

Grupo H - Galo na frente. Nível fraco na chave

Depois de uma estreia decepcionante, o Atlético mostrou melhorias contra América de Cali e Cerro Porteño. Noves fora o nível dos adversários, foi mais agressivo com e sem a bola, evoluiu com Hulk de centroavante e Savarino na ponta direita. Começa a ganhar a cara de seu treinador. Conta com potencial individual acima da média. Vai disputar!

09 - GIAZI CAVALCANTE/CÓDIGO19/ESTADÃO CONTEÚDO - GIAZI CAVALCANTE/CÓDIGO19/ESTADÃO CONTEÚDO
Jefferson Savarino (esq.) comemora gol do Atlético-MG sobre Cerro Porteño, ao lado de Hulk
Imagem: GIAZI CAVALCANTE/CÓDIGO19/ESTADÃO CONTEÚDO

Quem ficará com a segunda vaga? Pois é, a julgar pelo nível demonstrado por Cerro Porteño, América de Cali e Deportivo La Guaira até aqui, seria melhor que um terceiro colocado de outro grupo fosse às oitavas. Os paraguaios têm mais potencial técnico, se defendem bem se não precisarem tomar a iniciativa de atacar, mas o repertório ofensivo é pobre. O América de Cali mudou de treinador e tenta se encontrar minimamente, não tem tanto lastro de crescimento. E o La Guaira se fecha numa retranca insana para jogar ''por uma bola''. O Cerro tem um leve favoritismo.

Neste sábado, a Seleção da Libertadores até o momento e o Top-5 de cada posição/função aqui no blog.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL