PUBLICIDADE
Topo

Rodolfo Rodrigues

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

City chega à final da Champions com números defensivos impressionantes

Pep Guardiola, técnico do Manchester City, em entrevista após partida da Liga dos Campeões 2020-21 - Alexander Scheuber - UEFA/UEFA via Getty Images
Pep Guardiola, técnico do Manchester City, em entrevista após partida da Liga dos Campeões 2020-21 Imagem: Alexander Scheuber - UEFA/UEFA via Getty Images
Rodolfo Rodrigues

Rodolfo Rodrigues é apaixonado por números e estatísticas no futebol. Foi repórter do Lance!, editor da Placar e do prêmio Bola de Prata ESPN e é autor de dez livros sobre futebol.

Colunista do UOL

05/05/2021 04h00

Finalista pela primeira vez da Liga dos Campeões, o Manchester City do técnico Pep Guardiola vai para a decisão do torneio europeu com números impressionantes, principalmente no setor defensivo.

Até aqui, em 12 jogos, foram 11 vitórias, 1 empate e nenhuma derrota, com 25 gols feitos e apenas 4 gols sofridos. Sem derrota, o time de Guardiola pode repetir o feito de outros campeões invictos na história da competição desde 1955: Internazionale (1964), Ajax (1972), Nottingham Forest (1979), Liverpool (1981), Liverpool (1984), Milan (1989), Estrela Vermelha (1991), Olympique de Marselha (1993), Milan (1994), Ajax (1995), Manchester United (1999), Barcelona (2006), Manchester United (2008) e Bayern Munique (2020).

Entre os times com mais de 10 jogos na Liga dos Campeões desde 1992/93, apenas quatro sofreram poucos gols como o Manchester City de 2020/21: o Ajax de 1995/96 (3 gols sofridos em 11 jogos), o Ajax de 1994/95 (4 gols sofridos em 11 jogos), Arsenal (4 gols em 13 jogos em 2005/06), além do Chelsea de 2020/21, que levou 4 gols em 11 jogos - mas que ainda joga com o Real Madrid nesta quarta (5).

O goleiro Ederson, que chegou a ficar 700 minutos sem levar gol, se tornou o 3º a ficar mais minutos sem ser vazado na história da competição desde 1993, atrás apenas de Lehman (853 minutos com o Arsenal em 2006) e Navas (737 minutos com o Real Madrid em 2016).

Com 8 dos 12 jogos sem levar o gol, o Manchester City fez com que Ederson chegasse a 20 jogos na história da Liga dos Campeões sem levar gol, se aproximando de Júlio César (que ficou 22), o segundo brasileiro com mais partidas sem levar gol na competição. Dida, com 34, segue isolado na frente.

Números ofensivos de Bayern Munique 2020 e Manchester City 2021 na Liga dos Campeões - SofaScore - SofaScore
Números ofensivos de Bayern Munique 2020 e Manchester City 2021 na Liga dos Campeões
Imagem: SofaScore

Comparado com o Bayern Munique campeão invicto e com 100% de aproveitamento (11 vitórias em 11 jogos), o Manchester City de Guardiola chega à final com números ofensivos inferiores, mas bem melhor na parte defensiva. Com média de 2,1 gols marcados por jogo, o City fica bem atrás de rolo compressor do Bayern de 2020 (4,1 por jogo). Além de criar menos chances claras de gol (2,7 x 4,9), o que impressiona também é que esse time do City tem em média menos posse de bola que o Bayern de 2020 (61% x 64%).

Números defensivos de Bayern Munique 2020 e Manchester City 2021 na Liga dos Campeões - SofaScore - SofaScore
Números defensivos de Bayern Munique 2020 e Manchester City 2021 na Liga dos Campeões
Imagem: SofaScore

Por outro lado, na defesa, o City vem se mostrando muito melhor que o fantástico time do Bayern de 2020. Em média, o time inglês sofreu 0,3 gol por jogo contra 0,7 do time alemão. Nas grandes chances cedidas, foram apenas 0,4 por jogo do City contra 1,3 do Bayern. Além disso, o time de Guardiola ficou 67% dos jogos sem levar gol contra 55% do Bayern. Números que mostram a grandeza desse time de Guardiola, que pode, enfim, encerrar o seu jejum de títulos na Liga dos Campeões.

Você pode me encontrar também no twitter (@rodolfo1975) ou no Instagram (futebol_em_numeros)

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL