Topo

Esporte


Após morte de cadeirante, São Silvestre exige atletas em congresso técnico

Israel Cruz, cadeirante morto durante a Corrida de São Silvestre - Reprodução/Facebook/Israel Cruz
Israel Cruz, cadeirante morto durante a Corrida de São Silvestre Imagem: Reprodução/Facebook/Israel Cruz

Do UOL, em São Paulo

30/12/2013 17h33

O acidente que matou o atleta cadeirante Israel Cruz na edição 2012 da Corrida de São Silvestre alterou pouca coisa na organização do evento. Um ano depois, a principal mudança foi a adoção de um congresso técnico obrigatório para os participantes dessa categoria.

“A Yescom [organizadora da prova] tem feito algumas coisas que solicitamos. Agora, haverá um congresso técnico exclusivo da categoria e será solicitado atestado médico para o atleta dizendo se está apto. Isso evita aventureiros. O congresso é muito importante e dá oportunidade de solicitarmos coisas, como sinalização com fardo de feno”, disse Eduardo Leonel, técnico da Associação Desportiva para Deficientes (ADD), em entrevista ao jornal “Lance!”.

No ano passado, Israel Cruz morreu após ter sofrido um acidente na descida da rua Major Natanael, logo no início da prova. Ele colidiu com o muro do Estádio do Pacaembu e foi levado ao hospital, mas não resistiu.

A morte do cadeirante suscitou um debate sobre o percurso, mas a edição 2013 não terá nenhuma alteração em relação ao roteiro do ano passado. O acidente de Israel Cruz chegou a ser investigado pela 23ª Delegacia de Polícia, localizada em Perdizes (Zona Oeste de São Paulo), mas o caso foi arquivado.

“Eu trabalho na prefeitura de Ananindeua e ajudo na limpeza de um colégio. Abandonei os estudos após o ocorrido. Fazia supletivo, e meu marido trabalhava na assistência administrativa da prefeitura. Não consigo viver apenas com a pensão”, disse Adriana Mendonça, viúva do cadeirante, que vive em Ananindeua (PA). “Aconteceu e ficou por isso. Nunca me ligaram. O pessoal da São Silvestre não ajudou”, completou.

A cadeira de Cruz, que havia sido comprada no Japão, foi liberada para a família apenas no início de dezembro. O equipamento custou R$ 23 mil.

A largada dos cadeirantes na edição 2013 da São Silvestre será realizada às 6h50 desta terça-feira, cinco minutos antes do pelotão de atletas com necessidades especiais. A elite feminina sairá às 8h40, e os homens começarão a correr às 9h. A prova tem um total de 27,5 mil inscritos. 

Mais Esporte