PUBLICIDADE
Topo

Ciclistas arrecadam cestas básicas e calçados para vulneráveis na pandemia

Pedalando pela cidade, Edson Porteiro se impressionou com a quantidade de pessoas descalçadas - Arquivo pessoal
Pedalando pela cidade, Edson Porteiro se impressionou com a quantidade de pessoas descalçadas Imagem: Arquivo pessoal

Giacomo Vicenzo

Colaboração para Ecoa, em São Paulo

21/10/2021 06h00

Foi em um dia pedalando pela região da capital de São Paulo, hábito que faz parte da vida do comerciante Edson Porteiro, de 56 anos, que sua percepção sobre as necessidades do próximo começou a mudar, sobretudo no período de pandemia de covid-19. "Vi muita gente em situação difícil, precisando de comida e descalços. Aquilo me fez ficar mais pensativo", lembra.

Como uma semente plantada em solo fértil, a ideia germinou por meio da provocação de um amigo. "Ele sugeriu fazer da minha loja de bicicletas um ponto de entrega de cestas básicas para ajudar três comunidades próximas da casa dele. Para minha surpresa, os ciclistas doaram muitos alimentos em 30 dias. Conseguimos fazer 150 cestas básicas e passei a gostar dessa mobilização", conta Porteiro.

O comerciante ainda enxerga que há uma preocupação quase que inerente aos ciclistas quando o assunto é o cuidado com o próximo. "Nesses 10 anos no ciclismo, reparei que o ciclista se preocupa com a natureza, com os animais e procura sempre mostrar respeito pelas pessoas em geral."

Um pedal com frutos de solidariedade

Foi pedalando que Porteiro se inspirou em continuar as ações em sua loja, que agora arrecada calçados usados para doação. "Todas as quintas-feiras tenho um pedal que sai da loja para percorrer a capital e regiões e, por algumas vezes, integrantes da ONG Victórias Pela Vida. Conheci no Instagram o trabalho deles, que conta com entrega de refeição e roupas para pessoas em situação de rua, e me interessei", conta.

O comerciante descobriu, ao conversar com os voluntários da ONG, que angariar doações de sapatos usados masculinos estava sendo um desafio. "Para mulher é diferente, esse tipo de doação acontece com mais frequência e chega em bom estado, enquanto homens ou deixam encostados em casa ou fazem essa doação só quando os pares estão em péssimo estado", conta.

Apoiado no espírito de competição dos atletas e ciclistas que frequentam sua loja, Porteiro criou uma espécie de desafio. "Todos que doam desafiam um conhecido ou um amigo de pedal a doar também", explica.

A arrecadação de sapatos e tênis masculinos começou há pouco mais de um mês e já conseguiu 70 pares, que são retirados por membros da ONG Victórias Pela Vida e entregues para pessoas em situação de rua.

Apesar das dificuldades, Edson afirma que tem se surpreendido com o aumento gradual em doações. "A pandemia mobilizou muita gente a se unir e ajudar o próximo. Isso foi um gatilho que me fez começar também", diz.


Para ajudar com pares de sapatos ou tênis, entre em contato com Edson pelo número 11 97446-9777. Ou leve diretamente ao local de arrecadação: Av. Melchert, 596, São Paulo - SP, no bairro de Vila Matilde, zona leste. A distribuição dos itens é feita pela ONG Victórias Pela Vida, que também recebe contribuições e pode ser contatada por meio da sua página no Instagram.