PUBLICIDADE
Topo

Trailer itinerante leva banho, corte de cabelo e capacitação a 15 mil em SP

Trailer circula todos os domingos com chuveiro, roupas, cabeleireiro, capacitação e escuta - Arquivo pessoal
Trailer circula todos os domingos com chuveiro, roupas, cabeleireiro, capacitação e escuta Imagem: Arquivo pessoal

Ed Rodrigues

Colaboração para Ecoa, em Recife

18/10/2021 06h00

Banho quente, roupas limpas, alimentação e, em alguns casos, até emprego. O trabalho realizado pelo projeto Banho Solidário já atendeu cerca de 15 mil pessoas em situação de rua da cidade de São Paulo desde o início da pandemia da covid-19.

Além do apoio voltado à higiene pessoal, o movimento tem se desdobrado para capacitar pessoas e promover uma melhoria de vida. A primeira turma do Banho Profissionalizante deve formar novos barbeiros, que poderão se encaixar no mercado de trabalho ou montar seu próprio negócio.

A ideia nasceu da afinidade de um casal com ações de solidariedade. Sempre ligados a projetos solidários voltados somente para a alimentação, os dois perceberam que dava para fazer algo diferente.

Banho solidário - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Pessoas em situação de rua com potencial para treinamento em barbearia ganham o curso gratuitamente
Imagem: Arquivo pessoal

"A necessidade premente que a gente viu nas ruas era de banho. Então começamos a pensar em um projeto de banho que fosse itinerante para atender mais pessoas. O trailer móvel foi projetado para levar os chuveiros a regiões mais periféricas de São Paulo, como Campo Limpo e Santo Amaro", explicou Paulo Fernandes, presidente do projeto.

Ele contou a Ecoa que a ideia era realizar algo coletivo, em equipe, e que precisou amadurecer o desejo. Entre um ajuste e outro, Paulo foi tendo a noção de que a crise sanitária desabrigou mais pessoas e que esse número de vulneráveis cresceu. "É uma quantidade absurdamente maior do que antes da pandemia. Em todos os lugares. Isso nos motivou a acelerar a articulação e partir para as ruas", continuou.

O Banho Solidário circula pelos bairros paulistas todos os domingos. A equipe escolhe um bairro e realiza uma divulgação. "A gente monta a praça do banho. O projeto foi crescendo e agregando novos serviços. O trailer tem dois chuveiros, água aquecida com uma vazão excelente. Tem a loja de roupas solidárias. A pessoa entra na lojinha e escolhe o que ela quiser. Se quiser fazer cabelo e barba, tem uma equipe de parceiros. A gente doa também kits de higiene para que possam se cuidar ao longo da semana. E temos a turma do ouvido. Profissionais que estão ali para dar carinho e ouvir o que eles têm para dizer", detalhou Paulo Fernandes.

O projeto disponibiliza também, em ações pontuais, equipe médica em parceria com o Consultório na Rua. Durante o atendimento, as pessoas podem fazer exames de sífilis, aids e tuberculose. Algumas ações ainda oferecem banho para os pets e tratamento veterinário. "E agora estamos vendo atendimento jurídico. Às vezes, a pessoa tem um FGTS preso ou algo do tipo e precisa desse apoio", disse.

Capacitação

Para além do apoio imediato, o projeto iniciou uma fase de capacitação de pessoal. Aqueles com potencial para treinamento em barbearia ganham o curso gratuitamente. "Estamos formando a primeira turma de barbeiros profissionais. A gente tem as barbearias parceiras e o curso tem duração de quatro meses. No término, o 'Banho' vai disponibilizar todo o material para eles ingressarem no marcado de trabalho ou montar seu próprio negócio."

Há ainda um outro braço do projeto: o Volta ao Lar. "Em parceira com outra ONG, ajudamos quem está na rua em São Paulo a voltar para casa em outro estado. Temos um caso recente que voltou para Camboriú, está trabalhando e não está mais na rua", concluiu Paulo.

Banho solidário - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
A equipe do projeto monta a 'praça de banho'. com chuveiros, roupas limpas, lanche e doação de kits de higiene
Imagem: Arquivo pessoal

Ederson de Lima, 47 anos, conheceu o trabalho do Banho Solidário e participa do curso de barbearia. "Eu fui conhecer. Entrei na fila, usei o chuveiro. Eles chegam, montam o cenário, distribuem senha, lanche. Tomei o banho, peguei roupa, sapato e me deram até livro, porque eu gosto de ler", contou.

Foi na fila para acessar os serviços do trailer que ele foi convidado a participar do curso profissionalizante. "Enquanto eu aguardava, eles me perguntaram se eu queria fazer curso. Eu disse que sim. Estou aprendendo em uma barbearia em Moema, que é parceira do projeto. Estou na quarta semana de curso e já aprendi a cortar cabelo", disse.

Ederson pretende retribuir a oportunidade e virar voluntário. "Quando terminar o curso, vão nos encaminhar para um trabalho. Em uma pandemia você ter uma oportunidade dessa, não pode jogar fora. Tem que agarrar com tudo. Vou ajudar e cortar cabelo com o pessoal do banho, voluntariamente."

Mais detalhes sobre o Banho Solidário estão disponíveis no Instagram do projeto. A equipe disponibiliza um PIX para doações em dinheiro: Chave-e-mail - banhosolidariosampa@gmail.com

Errata: o texto foi atualizado
O Banho Solidário ocorre todos os domingos nas ruas de São Paulo, e não às quintas-feiras, como informado anteriormente. Às quintas-feiras, o projeto tem uma ação para distribuição de lanches. O texto foi corrigido.