PUBLICIDADE
Topo

Chef distribui quentinhas a quem tem fome em comunidade de São Paulo

A expectativa da chef é aumentar a produção para mil marmitas por sábado - Arquivo pessoal
A expectativa da chef é aumentar a produção para mil marmitas por sábado Imagem: Arquivo pessoal

Cleberson Santos

Colaboração para o Ecoa, em São Paulo

10/06/2021 06h00

Nascida e criada em Cidade Tiradentes, na zona leste de São Paulo, Talita Santos, de 26 anos, se encontrou na cozinha. Em 2017, ela trocou o curso técnico de serviços jurídicos pelos de nutrição e gastronomia, onde aprendeu a cozinhar profissionalmente e também sobre a função social dos alimentos.

Ao conhecer o trabalho da ONG Gastromotiva, que forma empreendedores e chefs com o propósito de que eles "devolvam" esse conhecimento para a comunidade, Talita se aprofundou ainda mais nessas questões. Desde então, ela já deu aulas para presos LGBTQIA+ num Centro de Detenção Provisória, liderou uma cozinha de ecogastronomia, abriu seu próprio restaurante na ZL e colaborou com a ONG que lhe formou.

Uma dessas colaborações é a "Cozinha Solidária", em que a chef prepara marmitas que são distribuídas para comunidades da região. "Esse é um projeto que deixei de gaveta por um tempo, mas que eu queria de todo o coração. Agora estou fazendo o que gosto mesmo, que é o social", explica Talita.

Talita Santos - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Talita prepara 300 quentinhas num único dia
Imagem: Arquivo pessoal

Toda a parte de insumos é fornecida pela Gastromotiva, enquanto Talita cuida do espaço, dos voluntários e, claro, das panelas. Na cozinha cedida por uma associação local, um fogão de quatro bocas e uma geladeira emprestada por um bar vizinho, Talita e sua equipe prepara cerca de 300 quentinhas num único dia.

"Decidi que uma semana vamos ter uma proteína e na seguinte faremos um cardápio mais vegetariano. Primeira semana foi um frango com batatas, arroz, feijão e farofa de couve. Já nessa foi uma beterraba cozida, um arroz feito na água da beterraba, uma saladinha de repolho e um macarrão de cenoura com curry. Pelo que fiquei sabendo, o pessoal gostou bastante!", conta.

A expectativa de Talita é aumentar a produção para mil marmitas por sábado, mas também deixar uma estrutura melhor para a associação. Para isso, ela está fazendo uma vaquinha online para arrecadar dinheiro e comprar um fogão industrial para o espaço.

"Mesmo a gente fazendo 300, não dá conta, a gente alimenta pouquíssimas pessoas, querendo ou não. Temos poucos projetos relacionados a gastronomia aqui na Zona Leste. É essencial fazer a diferença, mas é possível fazer muito mais".

Para colaborar com essa cozinha solidária, você pode fazer doações por meio da vaquinha online. Para mais informações, pode entrar em contato pelo Instagram da Talita.