PUBLICIDADE
Topo

Jornalista cria grupo para ajudar quem não pode pagar as contas na pandemia

Reprodução Facebook
Imagem: Reprodução Facebook

Glória Maria

Colaboração para o Ecoa, em São Paulo

13/05/2021 06h00

A pandemia da covid-19 provocou, além de uma crise sanitária sem precedentes, uma crise econômica que deixou muitos brasileiros em situação de vulnerabilidade. Diante das medidas de restrição e distanciamento social, muita gente foi impedida de trabalhar, muitos comércios fecharam as portas.

Pensando em dar uma contribuição para ajudar pessoas que, do dia para a noite, viram-se sem recursos para arcar com as contas básicas do dia a dia, o jornalista Vítor Alexandre Kenji Ogawa, 46 anos, morador de Londrina, Paraná, resolveu criar um grupo em uma rede social para juntar quem precisa de ajuda e quem pode ajudar.

O grupo "Paga esse para mim?" foi criado em abril deste ano no Facebook para ajudar as pessoas que estão com dificuldade de pagar as contas no final do mês. Ogawa disse que viu surgir nesse período da pandemia várias iniciativas para arrecadar e doar cesta básica, alimentos, mas nada que ajudasse as pessoas a pagarem aluguel, conta de água, luz, gás, internet.

Ele conta que o perfil dos participantes do grupo, que tem pouco mais de um mês, é bastante diverso. Há desde pessoas que tiveram de fechar seus negócios até estudantes e pessoas que ficaram desempregadas por conta da pandemia. E há também pessoas de várias regiões do país e de diferentes faixas etárias.

"Vi pessoas ajudando desde o estudante que passou no vestibular e não tinha o dinheiro para a matrícula até a profissional do sexo que não pode trabalhar durante a pandemia, e que é universitária e estava com as contas e o aluguel atrasados", conta Ogawa. "Houve também uma pessoa que não tinha o dinheiro do aluguel e estava para ser despejada e conseguiu quitar um dos aluguéis com a ajuda de alguém."

O jornalista diz que se sente feliz e satisfeito a cada história de sucesso, mas lembra que existem muitas pessoas que precisam de ajuda, o que o deixa bastante aflito. "O grande desafio tem sido encontrar pessoas que possam pagar esses boletos, já que a demanda de pessoas precisando não para de crescer, chegam pedidos inbox todos os dias."

O objetivo agora é que o grupo cresça. Desde que foi lançado, Ogawa divulgou somente entre seus contatos da rede social por conta da limitação de convites no Facebook. O grupo conta hoje com cerca de 355 membros e serve mesmo como um lugar de encontro, as ajudas são feitas diretamente entre a pessoa que precisa e a que pode e quer ajudar.

Para participar e ajudar

Basta acessar o grupo, ler todos os termos previstos e estar de acordo, e pedir para participar. Depois o administrador libera o acesso.