PUBLICIDADE
Topo

Inglaterra: Restaurador vence processo de R$ 200 mil contra concessionária

Michael fez desabafo no Facebook após ter uma discussão com superior no trabalho - Reprodução/Daily Mail/A1m Retro Classics
Michael fez desabafo no Facebook após ter uma discussão com superior no trabalho Imagem: Reprodução/Daily Mail/A1m Retro Classics

Colaboração para o UOL, em São Paulo

20/01/2021 10h27

Um restaurador de carros clássicos fez um desabafo no Facebook sobre a conduta do chefe. A publicação não apenas rendeu discussões fervorosas nos comentários, como também culminou na demissão de Michael Austin da empresa, situada na Inglaterra. O caso foi parar na justiça e uma indenização de 28,5 mil libras (R$ 208 mil) terá de ser paga ao trabalhador.

"Acho que nunca me senti tão mal na vida depois dos comentários do meu chefe hoje", foi o desabafo de Michael, após um dia conturbado de trabalho.

Os amigos do restaurador de carros logo passaram a xingar Matthew Robinson, diretor da concessionária em que Michael trabalhava na época, nos comentários.

Insultos homofóbicos foram dirigidos para o chefe do amigo, que é homossexual. Em um dos comentários, um amigo de Michael chegou a incentivá-lo a "dar um soco na cara dele [chefe] para fazê-lo se sentir melhor".

Descontente com a publicação do funcionário, Matthew acusou Michael de prejudicar a reputação da empresa e optou por demiti-lo, conforme divulgado pelo jornal Daily Mail. O caso, então, foi levado pelo funcionário para os tribunais.

A defesa de Michael alegou que o restaurador não respondeu aos comentários depreciativos feitos por seus amigos e tampouco concordou com eles. A contra-argumentação de Matthew foi de que o funcionário teria incitado os insultos online e que ele teria até "causado sua própria demissão" por prejudicar a imagem da concessionária.

Foi revelado no tribunal que houve uma discussão entre o chefe e o funcionário a respeito dos carros, no dia da postagem. Michael, especialista na área, trabalhou durante seis anos na concessionária e afirmou para o chefe que os carros da concessionária estavam superfaturados, o que irritou o superior e culminou na postagem feita no Facebook.

O juiz do processo deu ganho de causa para o funcionário, afirmando na sentença que ele não fez "algo mais do que expressar suas opiniões pessoais" e concordando que ele não era responsável pelas falas de terceiros. Ele também ressaltou que o único dano causado por Michael à imagem da empresa se deu em seu grupo de amigos.

Portanto, foi estabelecido na corte que a demissão de Michael foi injusta. Ao bater o martelo para encerrar o caso, o juiz determinou que a concessionária deveria indenizar o restaurador em um valor de 28,5 mil libras pela má conduta empresarial.