PUBLICIDADE
Topo

Marcas japonesas criam sistemas de segurança para incentivar idosos a guiar

Do UOL

Em São Paulo (SP)

19/01/2021 16h29

Acompanhando uma tendência de envelhecimento populacional, as montadoras japonesas têm cada vez mais adaptado seus carros para pessoas com mais de 65 anos. Cerca de 30% da população local está acima desta faixa etária.

Assim, com os acidentes envolvendo pessoas mais velhas aumentando, recursos avançados de segurança como frenagem de emergência serão necessários para todos os veículos novos vendidos no mercado a partir de 2021. Além disso, marcas como Toyota e Mitsubishi empregam tecnologias para fazer os modelos mais amigáveis para os idosos.

A pandemia do coronavírus e um acidente fatal acenderam a luz de alerta. Em fevereiro de 2020, o ex-executivo Kozo Iizuka, de 89 anos, foi condenado por negligência ao volante. Em abril de 2019, ele estava a caminho de um restaurante com sua esposa em Tóquio e atropelou com seu Toyota Prius pessoas que atravessavam uma rua na faixa de pedestres. O acidente matou uma criança e sua mãe.

Depois disso, houve um crescimento do número de idosos que decidiram parar de dirigir. De acordo com a polícia, a repercussão do caso fez com que 350.428 pessoas com 75 ou mais devolvessem suas carteiras em 2019. A pressão ocorre principalmente dos filhos das pessoas, que acabam as convencendo a não correr este tipo de risco.

Entretanto, pensando em explorar este mercado, as montadoras têm investido pesado em equipamentos de segurança. A Toyota lançou em 2020 o Safety Sense, para prevenir e evitar batidas de frente. Ele usa câmeras de alta resolução no para-brisa e radares nos para-choques podendo detectar carros e pedestres. Há também correção em saída de faixa, detecção de placas de trânsito e alternância automática entre farol alto e baixo dependendo do tráfego.

"Uma sociedade na qual os idosos possam dirigir com segurança é crucial para sua participação social ativa e vidas mais saudáveis e plenas", disse a Toyota à Bloomberg. "Nosso objetivo final é, obviamente, ter zero vítimas em acidentes de trânsito."

A Subaru é ainda mais pretenciosa: quer eliminar todos os acidentes fatais até 2030. A montadora criou o sistema EyeSight de 360°, que alerta os perigos da rua para o motorista. "Seria impossível erradicar todos os acidentes fatais sem utilizar inteligência artificial", diz Eiji Shibata da Subaru, que supervisiona o desenvolvimento do EyeSight.

A versão atualizada do sistema, o EyeSight X, já à venda no Japão, pode até mesmo fazer o veículo mudar de faixa sozinho. Já a Nissan também tem seu equipamento, a tecnologia ProPilot.

No entanto, o pai da família que faleceu em Tóquio atropelada, Takuya Matsunaga, diz que estes sistemas não são à prova de falhas. Ele se tornou membro da Aino Kai, um grupo de apoio para pessoas que tiveram familiares mortos em acidentes de trânsito. A organização cobra as autoridades governamentais para expandir as redes de transporte público.

"Não quero ver divisões entre jovens e mais velhos", diz Matsunaga. "Precisamos pensar nas pessoas que estão sofrendo: os idosos nas áreas rurais".