PUBLICIDADE
Topo

Mora nos Clássicos

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Por que Mustang de corrida pode ser pela segunda vez o mais caro do mundo

Conteúdo exclusivo para assinantes
Rodrigo Mora

O blog Mora nos Clássicos contará as grandes histórias sobre as pessoas e os carros do universo antigomobilista. Nesse percurso, visitará museus, eventos e encontros de automóveis antigos - com um pouco de sorte, dirigirá alguns deles também.

Colunista do UOL

11/12/2021 04h00

(SÃO PAULO) - Em julho do ano passado, a casa de leilões estadunidense Mecum vendeu um Ford Shelby GT350 Competition 1965 por U$S 3,85 milhões, à época valor equivalente a R$ 20,7 milhões. Se tornara, então, o Mustang mais caro da história - título que pertencia ao exemplar dirigido por Steve McQueen em Bullitt, arrematado em janeiro de 2020 por US$ 3,4 mi.

Pois o mesmo carro pode bater o próprio recorde em janeiro, durante o Mecum Kissimmee Auction. "A propriedade de curto prazo de um carro desta magnitude é muito incomum. No entanto, a decisão do comprador de revender o carro agora oferece uma oportunidade extraordinária de adquirir o Shelby Mustang mais cobiçado de todos os tempos", avisa a casa de leilões.

  • O UOL Carros agora está no TikTok! Acompanhe vídeos divertidos, lançamentos e curiosidades sobre o universo automotivo.

Mustang Mecum  - Divulgação  - Divulgação
Mustang pilotado por Ken Miles em 1965 é arrematado em leilão da Mecum, nos EUA
Imagem: Divulgação

Uma das razões para o valor recorde é o fato de Ken Miles ter vencido a corrida de estreia deste Mustang em uma competição oficial, em 14 de fevereiro de 1965, no autódromo Green Valley Raceway, no Texas - uma das etapas do campeonato organizado pelo Sports Car Club of America (SCCA).

Shelby GT350 Competition  - Divulgação  - Divulgação
Imagem: Divulgação

Miles ganhou notoriedade para além dos círculos automobilísticos por ter sua carreira revisitada em Ford vs Ferrari. Vencedor de dois prêmios do Oscar 2020, o filme narra a competição entre as duas fabricantes durante a edição de 1966 das 24 Horas de Le Mans. O piloto é protagonizado por Christian Bale, enquanto Matt Damon atua como Carroll Shelby, chefe da equipe da Ford.

Shelby GT350 Competition  - Divulgação  - Divulgação
Imagem: Divulgação

Também conhecido como GT350R, este Mustang ainda teve sua imagem eternizada quando Miles, durante a tal prova no Texas, deu um salto que tirou as quatro rodas do chão - daí o apelido "Flying Mustang" (Mustang voador).

Flying Mustang - Divulgação  - Divulgação
Apelido "Flying Mustang" veio de salto durante prova de 1965 no Texas
Imagem: Divulgação

A cereja do bolo é que este chassis número 5R002 é o primeiro de apenas dois protótipos construídos do GT350R e o exemplar apresentado à Federação Internacional de Automobilismo para homologação, o que lhe permitiu competir no SCCA. Em comparação com o GT350, a versão R recebia novos ajustes de suspensão, motor 7.3 V8 modificado, painéis da carroceria de fibra de vidro e janelas de acrílico. E, sendo um protótipo, foi equipado com inúmeras peças que não chegaram aos 34 GT350R que a Shelby construiu para clientes.

Shelby GT350 Competition  - Divulgação  - Divulgação
Imagem: Divulgação

Em 1966 o carro foi vendido por US$ 4 mil a um engenheiro da Ford, que manteve o Mustang nas competições. Depois de trocar de mãos mais algumas vezes, foi parar no Shelby American Museum, no Estado do Colorado. Em 2010, o colecionador John Atzbach comprou e restaurou o modelo - para no último final de semana vendê-lo por uma pequena fortuna.

Quer ler mais sobre o mundo automotivo e conversar com a gente a respeito? Participe do nosso grupo no Facebook! Um lugar para discussão, informação e troca de experiências entre os amantes de carros. Você também pode acompanhar a nossa cobertura no Instagram de UOL Carros.