PUBLICIDADE
Topo

Mora nos Clássicos

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Ram Rebel 1500 é inviável na cidade. Mas é quase perfeita fora dela

Conteúdo exclusivo para assinantes
Rodrigo Mora

O blog Mora nos Clássicos contará as grandes histórias sobre as pessoas e os carros do universo antigomobilista. Nesse percurso, visitará museus, eventos e encontros de automóveis antigos - com um pouco de sorte, dirigirá alguns deles também.

Colunista do UOL

25/09/2021 04h00

(SÃO PAULO) - Na hora de receber a Ram 1500 Rebel, pesco de soslaio que foram R$ 637 para encher o tanque. Um tanto frustrado com nossa iminente convivência de apenas quatro dias, mudei de ideia ao saber quanto me custaria bancar mais tempo com a picape mais potente, confortável, insana e tesuda que já dirigi na vida.

O tanque de 98 litros é apenas um dos superlativos da Rebel. A começar pelos 25 centímetros de altura em relação ao solo, que te obrigam a recorrer à alça no batente da porta para escalar a picape e chegar ao banco. Tentar ignorá-la é perda de tempo.

Ram ext - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

Na cabine - completamente forrada em couro e materiais de qualidade e bom gosto, como o aço escovado das maçanetas -, a Rebel mostra o que é, de fato, um carro familiar. Há portas-copos e porta-objetos por todos os cantos. Entre motorista e passageiro, o maior deles é tão grande que se afunda o antebraço nele para procurar algum treco ali perdido. Sobre ele o descansa-braço faz as vezes de mesa do drive-thru.

Ram braço - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

Na fileira de trás, a Ram 1500 Rebel se equipara a sedãs presidenciais - leia-se Mercedes Classe S, Audi A8 e BMW Série 7 - no quesito espaço. Precisou cruzar as pernas para mudar um pouco de posição? Sem problemas, pois mesmo assim elas estarão longe de esbarrar nos bancos da frente.

Ram 1500 bco tras - Divulgação  - Divulgação
Imagem: Divulgação

E dali da segunda fileira é possível enxergar tudo o que se passa na central multimídia vertical, de 12 polegadas. Tem umas bossas incomuns, como poder ser dividida para mostrar ao mesmo tempo duas funções, tais como navegação por GPS, câmera 360°, comandos do ar-condicionado digital dual zone, música em execução, entre outras.

Ram 1500 media - Divulgação  - Divulgação
Imagem: Divulgação

Completa o "UFC feelings" do interior o quadro de instrumentos de sete polegadas, cujo maior mérito é manter analógico o que tem que ser analógico (velocímetro, conta-giros, temperatura e nível de combustível) e digital o que ter que ser digital: autonomia, consumo instantâneo, consumo médio, estação da rádio, etc.

Ram 1500 painel - Divulgação  - Divulgação
Imagem: Divulgação

Embora truculenta, a Ram 1500 é cheia de mimos, pois até a vigia traseira é elétrica. Há nove entradas USB (quatro do tipo C) e aquecimento para o volante. Sem mencionar as "Ram Box": dois compartimentos de 100 litros nas laterais da caçamba para levar desde roupa suja de lama depois do motocross como gelo, caso precise carregar bebidas ali.

Ram Box - Divulgação  - Divulgação
Imagem: Divulgação

O sistema de som Harman Kardon de 900W e 19 alto-falantes, o retrovisor central eletrônico e o teto solar panorâmico também estão mais para um carro de luxo do que para uma picape preparada para o apocalipse.

Ram int - Divulgação  - Divulgação
Imagem: Divulgação

Motor ligado, engata-se a marcha por um botão giratório ao lado do volante (uma alavanca na coluna da direção seria mais charmoso, não?). E então aquele mastodonte de 5,93 metros de comprimento, 2,08 m de largura, 2,01 m de altura e de 2.610 quilos se põe em movimento. Instantaneamente, a consciência espacial é abalada: onde acaba o carro lá na frente, lá trás e para os lados?

Ram ext tras - Divulgação  - Divulgação
Imagem: Divulgação

Aos poucos o motorista vai perdendo o constrangimento por roubar um pedaço da faixa ao lado. Até porque aqueles ao redor estão ocupados em admirar a picape e esquecem de tamanha opressão. E fica logo claro, também, que uma Ram 1500 Rebel no meio de São Paulo demanda tanta atenção, tantos "será que passa?", tantos apitos do sensor de aproximação, que se torna cansativa.

Ram lateral - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

Num certo shopping da capital, ficamos a milímetros de esbarrar no sistema de irrigação em caso de incêndio. Sem falar que roubamos um terço de outra vaga ao estacionar.

Seu óbvio habitat é a estrada. Nela, o motorzão 5.7 HEMI estica os oito cilindros. Ou só quatro, porque há um sistema que desliga metade deles se não há necessidade de jorrar potência nas grandes e belas rodas de 18 polegadas. Mas, se precisar, são 400 cv e 56,7 kgfm de torque, que levam a Ram 1500 aos 100 km/h em 6,4 segundos. (Só não esqueça que a cada acelerada dessa vão-se litros e litros de gasolina).

Ram 1500 motor - Divulgação  - Divulgação
Imagem: Divulgação

Não se trata de desempenho, no fim das contas. É sobre segurança e confiança - o que a Ram 1500 esbanja. Com ela, a sensação é de que se pode chegar a qualquer lugar.

Importada dos EUA, a Ram 1500 Rebel desembarca aqui por R$ 443.860, mas pode chegar a R$ 464.505 com opcionais. Segundo executivos da marca, a picape pode ser o décimo carro do potencial consumidor.

No meu caso, nem precisaria de tanto. Já seria o segundo.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL