PUBLICIDADE
Topo

Benê Gomes

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Nissan Versa 2022 segue como bom coadjuvante entre sedãs compactos

Conteúdo exclusivo para assinantes
Benê Gomes

Jornalista e produtor de TV, desde 2001 atua como profissional especializado no segmento automotivo. Assina o boletim diário Sexta Marcha, da Rádio Transcontinental FM de SP, dirige e apresenta o_ _Programa Momento Vox – BAND SP. É diretor da Onze Produções, produtora de vídeo e conteúdo digital, e é o idealizador do Programa Auto+, onde atuou por 15 anos

Colunista do UOL

29/05/2022 04h00

Já falei sobre o novo Nissan Versa aqui em 2021, pouco tempo depois da sua chegada e, na ocasião, notei o quanto ainda despertava curiosidade das pessoas na rua como se fosse um carro recém-lançado. O que não era verdade. Mas agora, com a linha 2022 já nas lojas e sem nenhuma alteração, voltei a andar com ele, desta vez com a versão topo, Exclusive.

Continuo achando um sedã muito bonito, aliás, muito mais bonito quando comparado à versão anterior. Ele ficou mais robusto, com uma pegada esportiva até, com vincos marcantes e, na dianteira, bonitos faróis afilados com iluminação de LED, para-choque bem recortado e a chamativa grade em "V", o que o deixa alinhado com a identidade dos novos modelos Nissan em todo o mundo. E atrás, esqueça aquele desenho sem nenhuma harmonia.

Carrão confortável e com espaço comparável aos sedãs médios, capricha no porta-malas de 582 litros, motivo para se orgulhar mesmo. Agrada pelo rodar mais macio, como se espera de um sedã, mas é um carro gostoso de guiar, com bom encaixe para o motorista e firme - sem incomodar quem não gosta disso - nas respostas da suspensão.

Vale lembrar ainda que nesta geração o Versa recebeu novos acertos na suspensão e na direção com assistência elétrica. E observando essas características, claro, vem logo a curiosidade sobre o motor mais modesto, o 1.6 flex de 114 cavalos de potência e 15,5 Kgfm de torque, que trabalha com o câmbio automático do tipo CVT.

Como já comentei, o conjunto entrega força suficiente, no entanto, não dá para esperar tanta agilidade. Até porque, o torque não é muito forte e demora um pouco pra ser totalmente disponibilizado. Ou seja, você precisa afundar mais o pé no acelerador nas retomadas e conviver com a rotação alta do motor, como acontece normalmente com esse tipo de transmissão.

Agora, isso nos lembra de um outro ponto: como ele se sai no consumo de combustível. Também não é positivo, mas não é de todo ruim. Sabendo dosar o pé no acelerador, em especial quando estiver rodando só com etanol no tanque, ele entrega médias compatíveis com os modelos do seu segmento. Na cidade, 8 km/l; e na estrada, 10 km/l. O que não dá para esquecer, em se tratando do Versa, é o tanque de apenas 41 litros, o que limita a autonomia, mais um detalhe que já havia observado na outra avaliação.

Mais segurança e simplicidade no interior

Mas além da beleza, graças ao uso de uma nova plataforma, o Versa saiu ganhando em segurança. Contabilize aí os 06 airbags, controles eletrônicos de tração e estabilidade, e ainda o assistente de partida em rampa.

Ficou bem melhor com os novos reforços estruturais na carroceria e que melhoraram muita a dinâmica do carro, mas tem seu ponto alto - ainda que seja exclusividade da versão Exclusive - com a entrada dos modernos recursos já oferecidos também por seus concorrentes diretos, como alerta de colisão frontal com frenagem automática, alerta de ponto cego e o de tráfego cruzado.

Já quem valoriza mais o que vai encontrar dentro do carro, talvez fique um pouco frustrado. O acabamento é bem feito, mas carrega bastante plástico, detalhe que não transmite muito refinamento. E depois de mais intimidade com o carro, observando o painel central, você tem a sensação de que está olhando para o Kicks, um outro carro, com outra proposta.

No quesito conectividade, tem o bom multimídia Nissan Connect com tela de 7", espelhamento de smartphone e GPS integrado, entradas USB no banco traseiro e conjunto de instrumentos parcialmente digital. Mas tudo ainda um pouco distante do que a gente espera encontrar em um modelo com preço acima dos R$ 120 mil.

Então para fechar um raciocínio sobre o novo Nissan Versa, ele merece sua consideração sim se for o tipo de carro que está procurando: um sedã compacto que, reafirmo, tem espaço digno de sedã médio. Na prática, ele ainda não embalou nas vendas e segue como um bom coadjuvante no mercado de sedãs compactos, mesmo com todos esses trunfos que citei. Talvez pela falta de um motor turbinado e também pelo preço bem alinhado com os concorrentes, mas sem oferecer o mesmo conteúdo.

A boa notícia é que, nesse mar de SUVs que invadiu o nosso mercado também, a Nissan vai seguir investindo em sedãs. Ao lado do Versa, a marca já confirmou, logo teremos por aqui a nova geração do Nissa Sentra.

Preço Nissan Versa 1.6 exclusive CVT: R$122.490,00