PUBLICIDADE

Topo

Jairo Bouer

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Insegurança climática pode tornar jovens mais ansiosos

Encolhimento da Amazônia, estiagem, grandes queimadas e alterações climáticas se repetem ano a ano e geram preocupação, ansiedade e tristeza nos jovens - Getty Images
Encolhimento da Amazônia, estiagem, grandes queimadas e alterações climáticas se repetem ano a ano e geram preocupação, ansiedade e tristeza nos jovens Imagem: Getty Images
Conteúdo exclusivo para assinantes
Jairo Bouer

Jairo Bouer é médico psiquiatra formado pela Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo) e pelo Instituto de Psiquiatria do HC-USP. Bacharel em biologia pela UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina) e mestre em evolução humana e comportamento pela University College London (UCL). Nos últimos 30 anos, trabalha com comunicação em saúde e sexualidade nos principais veículos de mídia do país.

Colunista do VivaBem

15/09/2021 04h00

Que os adolescentes brasileiros andam muito ansiosos, não resta a menor dúvida. Desde há uma década, com a mudança dos algoritmos e o uso maciço de formas de impulsionar e compartilhar posts e conteúdos nas redes sociais, a situação já era complexa. A pandemia e o isolamento social só pioraram o cenário. E agora um novo estudo traz mais um ingrediente a essa crescente ansiedade dos mais novos: a insegurança climática.

O trabalho, feito por pesquisadores de várias universidades do mundo e coordenado por investigadores da Universidade de Bath (Reino Unido), está sob revisão da revista Lancet Planetary Health. A pesquisa foi financiada com doações individuais de milhares de pessoas ao redor do mundo enviadas à Avaaz, rede de mobilização social global que atua na internet.

Ansiedade e angústia com o clima

Foram entrevistados 10 mil jovens e adolescentes de 10 diferentes países (Austrália, Brasil, França, Finlândia, Índia, Nigéria, Filipinas, Portugal, Reino Unido e Estados Unidos). Os dados revelam que quase a metade deles (45%) se considera afetado pela ansiedade e angústia causadas por questões climáticas. É o maior estudo já feito sobre esse tema com os participantes na faixa dos 16 aos 25 anos.

Esses jovens tendem a considerar que essa insegurança e ansiedade podem estar afetando seu dia a dia e seu funcionamento normal. Mais da metade dos entrevistados sentem medo, tristeza, ansiedade, raiva, impotência ou culpa em relação ao tema. 59% estão muito preocupados com a situação e acreditam que terão menos oportunidades que os pais.

Brasileiros mais assustados com o futuro

A pesquisa mostra que, em geral, os brasileiros foram mais propensos do que a média a relatar crenças negativas em relação às mudanças climáticas e às respostas que o governo pode oferecer a esses desafios. 75% dos jovens no mundo acreditam que o futuro é assustador, e esse índice chega a 86% aqui no Brasil. Motivos não faltam, não é mesmo? Encolhimento da Amazônia, longos períodos de estiagem, queimadas crescentes, invasões de reservas indígenas, acidentes climáticos cada vez mais comuns, cenários que se repetem ano após ano.

A ansiedade e angústias em relação a questões climáticas estão fortemente ligadas à percepção de falta de atitude governamental e sentimentos de traição. 77% dos jovens brasileiros se consideram traídos pelo governo e 79% creem que o governo não está fazendo o suficiente para evitar uma catástrofe climática.

Essa inação pode contribuir fortemente para a insegurança dos jovens em relação ao futuro. Nesse sentido, corre-se o risco de uma geração que, além de enfrentar riscos adicionais à sua saúde mental, pode não topar investir no seu futuro profissional e familiar, já que eles podem "ler" o mundo como um lugar pouco seguro para se viver, investir e ter filhos.

A pesquisa surge após a Unicef publicar um relatório sobre a ameaça física das mudanças climáticas para as crianças, que aponta que um bilhão de crianças pode ter "risco extremamente alto" de sofrer os impactos das mudanças climáticas.

Alguns especialistas consideram que a situação pode prejudicar psicologicamente essa geração de tal forma que o impacto pode equivaler a violações de direitos humanos.

Para jovens que já vivem ansiosos, a insegurança climática pode ser um fator adicional de estresse e desconforto. Se para muitos a ansiedade pode paralisar, para outros ela pode ter o efeito inverso e se tornar um divisor de águas, fazendo com que eles se comprometam com essa pauta e se movam na direção de mudar o que não está bom, inclusive sua visão de mundo e seu processo de escolhas políticas.

Conheça outros números revelados pela pesquisa sobre os jovens brasileiros:

  • 92% consideram que as pessoas falharam em cuidar do planeta
  • 86% consideram o futuro assustador
  • 65% acreditam que a segurança familiar está ameaçada

Para saber mais sobre comportamento jovem, visite meu site doutorjairo.uol.com.br.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL