PUBLICIDADE

Topo

Diversidade

SC: Casal denuncia hospital por transfobia após nomes trocados em certidão

O casal Derick Wolodascyk, 25, e Terra Rodrigues, 24 - Reprodução/Intagram/Roy Schulenburg
O casal Derick Wolodascyk, 25, e Terra Rodrigues, 24 Imagem: Reprodução/Intagram/Roy Schulenburg

Júlia V. Kurtz

Colaboração para Universa, em Erechim (RS)

09/02/2021 20h38

Um erro no preenchimento da certidão de nascimento em um hospital fez com que um casal registrasse um boletim de ocorrência alegando transfobia. O caso ocorreu após o nascimento do filho, no dia 26 de janeiro, em Jaraguá do Sul, na região norte de Santa Catarina, quando os nomes do pai e mãe foram invertidos na Declaração de Nascido Vivo.

Foi o pai da criança, Derick Wolodascyk, de 25 anos, quem deu a luz ao bebê, entretanto, seu nome foi escrito no campo destinado ao da mãe. Da mesma forma, o registro de sua companheira Terra Rodrigues, de 24 anos, foi anotado na área do pai.

Devido ao erro, o casal não conseguiu registrar o filho Benjamin. Sem a certidão, eles também estão incapazes de matriculá-lo numa creche ou encaminhar o auxílio paternidade.

"É como se essa criança não existe socialmente, o que causa uma série de problemas", explica Ana Cristina Cunha Rodrigues, advogada do casal, a Universa.

Ela aponta que os pais não tiveram suas identidades respeitadas. Tanto Derick quanto Terra já fizeram a retificação de suas certidões de nascimento.

Os dois registraram um boletim de ocorrência na quinta-feira (4) como crime de injúria. Já hoje, o documento foi alterado para que a defesa possa enquadrar o caso como transfobia.

Eles também entraram com um mandato de segurança para conseguir registrar o filho e estudam processar o hospital.

Em nota para Universa, o Hospital e Maternidade Jaraguá afirma que seguiu as orientações do Ministério da Saúde para o preenchimento do DNV, que exige que os dados da parturiente sejam tratados como mãe.

"As equipes da maternidade e da assistência social do hospital prestaram todo o atendimento ao casal e ao bebê, inclusive realizando o encaminhamento do casal à Promotoria do município, que deverá prestar auxílio à família. O hospital está à disposição para esclarecer as dúvidas", disse o estabelecimento.

Diversidade