PUBLICIDADE

Topo

Bia Kicis sugere lei para impedir trans de competir em equipes femininas

Tifanny Abreu, é uma mulher trans e joga como oposta na equipe de vôlei feminino do Bauru - Neide Carlos/Vôlei Bauru
Tifanny Abreu, é uma mulher trans e joga como oposta na equipe de vôlei feminino do Bauru Imagem: Neide Carlos/Vôlei Bauru

De Universa, em São Paulo

18/06/2020 14h04

A deputada federal Bia Kicis (PSL-DF) criou um projeto de lei (PL) que visa impedir mulheres transexuais de competirem em esportes coletivos femininos. Em publicação feita no Twitter, a parlamentar alegou que o objetivo do PL 3396 é proteger as "atletas mulheres".

"Atletas de mais de 30 países encaminharam apelo ao Comitê Olímpico Internacional para evitar a destruição dos esportes femininos e flagrante discriminação contra mulheres", escreveu Kicis.

O projeto de lei de Bia Kicis foi apresentado durante o Mês do Orgulho LGBTQ+.

Polêmica antiga

Em março, a Federação de Atletismo já havia dito que o estado de São Paulo não poderia proibir a participação de mulheres transexuais em esportes femininos. Segundo a World Ahtletics, ex-IAAF, nenhum governo de nenhum local do mundo pode tomar tal medida.

A fala da entidade foi motivada pelo projeto de lei criado pelo deputado estadual Altair Moras (Republicanos-SP), que dizia que o sexo biológico é "o único critério definidor do gênero dos competidores em partidas esportivas oficiais no Estado de São Paulo", ficando proibida "a atuação de transexuais em equipes que correspondam ao sexo oposto ao de nascimento". A federação que descumprisse a lei seria multada em até 50 salários mínimos.

Diversidade