PUBLICIDADE

Topo

João Pedro Oliveira fala sobre lições aprendidas ao viver gay em 'Malhação'

Serginho e Guga se beijam em Malhação: Toda Forma de Amar - Reprodução/TV Globo
Serginho e Guga se beijam em Malhação: Toda Forma de Amar Imagem: Reprodução/TV Globo

De Universa, em São Paulo

03/04/2020 11h49

"Malhação - Toda Forma de Amar" chega ao fim hoje, na TV Globo. Para um de seus atores, o encerramento vem cheio de lições. João Pedro de Oliveira falou em entrevista à Quem sobre o que aprendeu ao interpretar um personagem gay.

João foi Serginho, um homem gay, negro e de periferia. E esse conjunto o fez refletir e aprender. "Aprendi de uma forma muito profunda sobre respeitar as diferenças dos outros. Eu era muito incisivo e achava que as pessoas que não se atentavam para as questões sociais e não eram tão próximas das lutas de minorias não precisavam dialogar comigo".

"Hoje eu já consigo trazer esse diálogo de forma mais natural e procuro entender sempre o quanto somos diferentes uns dos outros. Aprendi isso com o Serginho, por ele refletir sempre sobre as coisas e ser muito sensato nas opiniões que ele tem", disse o ator.

João Pedro é do Morro dos Macacos, comunidade da zona norte do Rio, e quis ser ator ao ver o filme "Era Uma Vez". "Além de mostrar uma realidade que era próxima à minha, no final do filme o Thiago (já como ator) falava um pouco sobre a vida dele na favela e discursava sobre a realidade social. Isso de fato me inspirou muito", contou.

"Quando a gente nasce na favela nossas perspectivas são muito limitadas. As grandes profissões são, na maioria das vezes, encaradas como um sonho, algo que está distante. Acredito que hoje não só eu mas também colegas de trabalho sejamos referência pra muitas pessoas que vem de onde viemos", avalia João Pedro.

Malhação teve o final antecipado e encurtado, devido às paralisações de gravações da TV Globo, por conta do coronavírus. A história de Serginho, no entanto, não deve ser esquecida.

"Histórias como as do Serginho fazem com que nós negros nos sintamos representados cada vez mais no audiovisual de uma forma geral. E pelo retorno que recebo dos telespectadores eu consigo mensurar a importância que o Serginho tem socialmente. É um carinho e respeito tão grande sobre o meu trabalho que me deixa muito feliz. Me sinto realizado", concluiu.

Diversidade