Topo

Em áudio, dono de pizzaria diz que "tem que matar viado"; público reage

Áudio com frases homofóbicas vazou nas redes sociais e gerou um protesto na frente da pizzaria - Getty Images/iStockphoto
Áudio com frases homofóbicas vazou nas redes sociais e gerou um protesto na frente da pizzaria Imagem: Getty Images/iStockphoto

Do UOL, em São Paulo

17/09/2019 14h21

Um áudio com insultos homofóbicos feito pelo dono de uma pizzaria localizada no Crato (CE) virou tema que foi parar nos trending topics do Twitter na manhã de hoje.

Tudo começou quando uma mensagem do dono do estabelecimento para um amigo no WhatsApp foi vazada há alguns dias. No áudio, Francisco das Chagas Martins elogia o presidente Jair Bolsonaro, diz que Lula transformaria o Brasil "em uma Venezuela" caso estivesse no poder e enfatiza que "tem que acabar com viado, matar esses viados".

Após o vazamento, os moradores da cidade se revoltaram contra a ofensa aos gays e organizaram um protesto em frente à pizzaria do empresário.

Na manifestação, uma reprodução do áudio de Francisco foi exibida por meio de caixas de som e, segundo jornais locais, houve "beijaço coletivo" (veja abaixo).

Depois do protesto, o empresário pediu desculpas em uma publicação na web. O dono da pizzaria disse que a mensagem "não passou de uma brincadeira mal interpretada" e que ele não tem "nenhum preconceito contra qualquer pessoa". Francisco ainda classificou a ação como um ato "impensado". Leia o comunicado:

Martins pediu desculpas por áudio homofóbico e disse que "tudo não passou de brincadeira" - Reprodução
Martins pediu desculpas por áudio homofóbico e disse que "tudo não passou de brincadeira"
Imagem: Reprodução

"Eu, o senhor Martins, proprietário da Tuttipasta, venho através deste comunicado esclarecer publicamente o ocorrido e também me desculpar pelo áudio que foi postado entre eu [sic] e um amigo que não passou de uma brincadeira que foi mal interpretada. Quero aqui deixar claro que não tenho nenhum preconceito contra qualquer pessoa, e sim tenho grande respeito por todos. Sou um empresário conhecido por todos os cratenses a [sic] 34 anos, e também tenho repúdio de qualquer tipo de discriminação. Peço desculpas e perdão a toda sociedade do Crato por esse gesto de brincadeira inpensado [sic], espero do fundo do meu coração que possam me entender e deixo minhas sinceras desculpas. Muito obrigado a todos! A empresa Tuttipasta está tomando todas as providências".

Mais Diversidade