Topo

Diversidade


Faye Dunaway é processada por ter constrangido assistente gay; entenda

Faye Dunaway  - Getty Images
Faye Dunaway Imagem: Getty Images

Da Universa

16/08/2019 10h21

A vencedora do Oscar Faye Dunaway está sendo processada por seu ex-assistente, Michael Rocha, que alega ter sido constrangido continuamente pelo fato de ser gay.

De acordo com o "Courthouse News", Rocha trabalhava com com Dunaway durante as gravações de "Tea At Five", que conta a história de Katherine Hepburn na Broadway, mas era "constantemente repreendido" pela atriz, que sempre mencionava sua sexualidade.

Por mais de uma vez, ele teria se referido a ela por "garotinho homossexual".

Rocha manteve esse emprego durante dois meses até ser demitido em julho. Segundo o portal "Advocate", ele recebia 1,5 mil (cerca de 6 mil reais) dólares por semana para organizar a agenda dela e administrar todos os seus compromissos -- lembrando Faye, inclusive, de tomar seus remédios.

Segundo informações que constam no processo obtido pelo "Courthouse News", o assédio moral começou poucas semanas depois da contratação de Michael Rocha, que chegou a denunciar a chefe famosa ao RH.

O assistente teria apresentado gravações em que Faye o chama de "garotinho homossexual" e se refere a outros membros da equipe como "essas pessoas gays".

No final de julho, pouco depois da demissão de Michael, a produção do "Tea At Five" demitiu Faye Dunaway por criar um ambiente "hostil" e "perigoso" nos bastidores. Ela teria agredido e atirado objetos sobre um outro membro da equipe que estava tentando colocar sua peruca.

Procurados pelo veículo norte-americano, os assessores da atriz não se manifestaram sobre o caso.