Topo

Diversidade


Em decisão unânime, Califórnia vai punir discriminação contra cabelo crespo

Getty Images
Imagem: Getty Images

Da Universa

30/06/2019 14h41

Após Nova York se tornar a primeira cidade dos Estados Unidos a transformar em lei a punição contra qualquer tipo de discriminação contra cabelos crespos em fevereiro, a Assembleia do Estado da Califórnia aprovou determinação semelhante na última quinta (27).

O Crown Act passará a proteger principalmente afro-americanos que continuam sendo alvo de preconceito no país. "Por anos temos visto muitos casos de empregados negros e candidatos a vagas de emprego sendo prejudicados em contratação ou promoção por conta da maneira que escolhem usar seus cabelos", disse Sydney Kamlager-Dove.

Em abril, o projeto de lei do Senado 188, foi aprovado por unanimidade pelo Senado local. A ideia da senadora Holly J. Mitchell, autora do projeto, é "criar um local de trabalho respeitoso e aberto para cabelos naturais" e "desafiar mitos comuns sobre o que constitui profissionalismo".

Mitchell defendeu o projeto de lei com base na experiência de homens e mulheres negras -- como ela própria -- discriminados na sala de aula e no escritório.

"Até muito recentemente, uma busca de imagens do Google, por exemplo, 'penteados pouco profissionais' rendia apenas imagens de mulheres negras com seus cabelos naturais, ou usando tranças ou reviravoltas. Embora desanimador, esse fato não foi surpresa", disse a senadora.

Ela lembrou, ainda, que políticas consideradas neutras, como a de proibir tranças, turbantes e dreads para todos os funcionarios têm "peso especial" sobre a comunidade negra.

"Essas políticas são muito mais propensas a excluir os negros do local de trabalho do que as pessoas de qualquer raça", defendeu.