Topo

Diversidade


Mulher desiste de doação de R$ 30 mil para bebê doente: "Filha de lésbicas"

Callie, quase dois anos, foi diagnosticada com câncer avançado em dezembro de 2018 - Arquivo Pessoal
Callie, quase dois anos, foi diagnosticada com câncer avançado em dezembro de 2018 Imagem: Arquivo Pessoal

Da Universa

04/05/2019 12h44

Uma mulher deixou de fazer uma doação significativa para ajudar no tratamento de uma menina de quase dois anos por ela ser filha de um casal de mulheres homossexuais, de acordo com publicação das mães dela. Tiffany e Albree Shaffer, de Ohio, nos EUA, compartilharam na página do Facebook da pequena Callie uma mensagem que elas receberam de uma seguidora. "Estou orando pela Callie. Eu iria doar R$ 30 mil para o fundo de finanças dela, mas descobri que ela é filha de lésbicas", escreveu a pessoa. "Desculpe-me, ela estará nas minhas orações, mas talvez este tenha sido o jeito de Deus chamar a sua atenção para o fato de que ela precisa de uma mãe e um pai, não duas mães."

Callie foi diagnosticada em dezembro de 2018 que está com neuroblastoma avançado, um tipo de câncer que ataca as glândulas que ficam acima dos rins. A pequena precisa de 18 meses de tratamento com quimioterapia e radiação. Por causa dos custos do procedimento, a família de Callie criou uma campanha de financiamento coletivo para ajudar a pagar as contas.

Callie com as mães, Tiffany e Albree Shaffer, e o irmão de 7 anos - Arquivo Pessoal
Callie com as mães, Tiffany e Albree Shaffer, e o irmão de 7 anos
Imagem: Arquivo Pessoal

As mães compartilharam a mensagem que receberam em abril deste ano. "É uma pequena menina doente, cuja vida está em risco. Alguém me mandar uma mensagem dessas e falar para minha família desta forma é nojento. Não importa como você se sente, não diga uma palavra. O que Callie precisa é de amor e apoio, não ódio e tristeza", escreveu o casal na página em que elas divulgam a campanha para arrecadar dinheiro para o tratamento da pequena.

Em entrevista para a emissora NBC, Albree, de 26 anos, falou que tentou "não ficar chateada". "Não podia acreditar que ela nos procurou para nos dizer isso diretamente. Ela poderia simplermente não ter doado e ignorado a página", disse.

Porém, a repercussão do caso incentivou que outras pessoas contribuissem na vaquinha para Callie. O financiamento coletivo já arrecadou cerca de US$ 80 mil (aproximadamente R$ 315 mil).

Veja a publicação na íntegra em inglês: