PUBLICIDADE
Topo

Me ajuda, qual o melhor esquema 'sem parar' para pedágios e estacionamento?

O país tem cerca de 8 milhões de motoristas com tags, enquanto a frota total é de 46 milhões de veículos - Arte UOL
O país tem cerca de 8 milhões de motoristas com tags, enquanto a frota total é de 46 milhões de veículos Imagem: Arte UOL

Colaboração para Tilt*

29/10/2021 04h00

Quem aí não se incomoda com o tempo gasto nos pedágios. Além do inconveniente de ter que carregar dinheiro em mãos, há a questão do tempo que é perdido na fila de veículos. Para evitar isso, alguns motoristas procuram as chamadas tags, serviços de pagamento automático de pedágios e estacionamentos.

A mais conhecida delas é a do Sem Parar. Hoje, o país tem cerca de 8 milhões de motoristas com tags, enquanto a frota total é de 46 milhões de veículos. Ou seja, ainda menos de 20% dos carros possuem o serviço.

Mas qual será a melhor para o seu bolso e para atender suas necessidades? Tilt reuniu algumas características das principais do mercado para ajudar em sua decisão.

Sem Parar

O Sem Parar é um dos mais antigos serviços de tag do país e reina absoluto há mais de uma década nesse mercado — do qual detém pelo menos 80%. O serviço funciona em pedágios, estacionamentos e postos de combustíveis de todo o Brasil.

A tag deve ser colocada na área visível do vidro, perto do retrovisor. Em locais com cancela, é só aproximar o veículo da barreira que ela abrirá automaticamente. Em locais sem cancela, é só avisar que vai pagar com o Sem Parar.

Além da versão pré-paga — que é sem mensalidade, ou seja, o usuário coloca previamente determinado valor — os planos pós-pagos vão de R$ 20,90 a R$ 33,90 por mês. Atualmente, é a empresa que cobra mais caro, entretanto, a que oferece mais serviços.

O mais barato é o "Sem Parar Assistência Auto", que também oferece opções de recarga de bateria, chaveiro, troca de pneus e reboque em caso de acidentes. O mais caro é o "Plano em todo lugar", que inclui lava-rápido.

A Sem Parar está prestes a alcançar 6 milhões de clientes. A companhia está indo atrás de montadoras para que seus adesivos já saiam da fábrica colados nos carros.

A empresa também tem apostado, assim como outras rivais, no serviço de assistência técnica para carros mais antigos. Recentemente, ela anunciou um programa de cashback (dinheiro de volta) que dá 2% de retorno para quem abastece o carro acima de R$ 100 em postos conveniados utilizando o Sem Parar.

ConectCar

Os planos pós-pagos vão de R$ 9,90 a R$ 17,90 por mês, sendo que as primeiras 12 mensalidades grátis. No entanto, todos têm taxa de adesão de R$ 30. Por serem mais baratos, não oferecem tantos serviços adicionais quanto o Sem Parar, como recarga de bateria, por exemplo.

O ConectCar pode ser usado em pedágios de todas as rodovias do país e em 1.000 estacionamentos, shoppings e aeroportos. Além disso, todos os planos oferecem 5% de cashback em combustível.

O plano básico pré-pago permite recargas entre R$ 50 a R$ 220, com taxas entre R$ 11,30 e R$ 41,30.

Recentemente, a empresa anunciou que os 20 milhões de clientes do Itaú passariam, se quisessem, a ter acesso à tag como um serviço gratuito. O Itaú é o principal acionista da ConectCar, assim como a Porto Seguro. Além do banco, a empresa tem parcerias do mesmo estilo com a seguradora e com a Localiza.

Veloe

A Veloe, que pertence à Alelo (do Banco do Brasil e Bradesco), criou parcerias com seus bancos controladores e anunciou outra com o BTG+.

O serviço está presente em 100% das rodovias com pedágios, nos principais estacionamentos de rua, shoppings, aeroportos e centros comerciais, segundo informações da empresa.

Os preços vão de R$ 9,90 a R$ 17,90 por mês, sendo que há opção pré-paga com recarga. O valor mínimo da recarga automática é de R$ 50. Os correntistas dos bancos sócios têm isenção de 24 mensalidades.

Move Mais

A Move Mais só oferece dois planos pré-pagos, em que o consumidor recarrega e controla seu saldo. A empresa permite recargas entre R$ 50 e R$ 500, com taxas de até 10% por recarga (quanto maior o valor carregado, menor a taxa). A cobrança por adesão ao serviço é de R$ 39,90.

O serviço da Move Mais está presente em 100% dos Estados com vias pedagiadas do Brasil e em estacionamentos. A recarga pode ser manual ou automática, via cartão de crédito.

Taggy

O Taggy é bem diferente das outras supracitadas, pois é o primeiro serviço de pagamento de pedágios e estacionamentos do país. Ele é oferecido diretamente aos usuários através de Bancos e Fintechs parceiras.

O serviço é personalizado pelo parceiro e operado de forma integrada com seus meios de pagamento, ou seja, não há taxa de adesão ou manutenção, nem necessidade de recarga. Dessa forma, não há aplicativos ou portais adicionais.

O dinheiro do usuário está sempre disponível para ele gastar como quiser, de acordo com a empresa.

O serviço se integra com cartões de crédito pré e pós pagos, carteiras digitais, contas de pagamento, cartões de benefícios, contas correntes e outros. Portanto, todos estes meios pagam pedágio e estacionamento, com o Taggy.

Entre os parceiros estão: Zul Digital, Asteroide, Banco Inter e Sicredi. O consumidor que for cliente de algumas dessas empresas pode solicitar a tag gratuitamente. É aceito em todos os pedágios do país e em alguns estacionamentos.

C6 Tag

A C6 Tag pertence ao C6 Bank e conta com a tecnologia da Veloe. Para usar, é necessário ter conta com saldo disponível no banco digital.

Todo cliente pessoa física ou MEI (Micro Empreendedor Individual) do C6 Bank pode ter uma C6 Tag sem mensalidade, anuidade ou taxa de carregamento. O valor dos pedágios e estacionamentos é debitado diretamente da sua conta no C6 Bank.

O processo é simplificado: após abrir uma conta grátis no C6 Bank, é só pedir o C6 Tag. O consumidor recebe o produto em casa, aí é só desbloqueá-lo pelo app, colar no vidro do carro e pronto.