PUBLICIDADE
Topo

O que sabemos sobre o smartwatch do Facebook, que chega ano que vem

Ilustração fria Tilt: smartwatch; apple watch; galaxy watch; amazfit - Estúdio Rebimboca/UOL
Ilustração fria Tilt: smartwatch; apple watch; galaxy watch; amazfit Imagem: Estúdio Rebimboca/UOL

Marcella Duarte

Colaboração para Tilt

10/06/2021 18h40

O Apple Watch que se cuide! Funcionários do Facebook vazaram a informação de que a empresa está trabalhando em um smartwatch (relógio inteligente) que só deve ser lançado no segundo semestre do ano que vem.

Ainda não foram divulgados detalhes, como nome, imagens ou protótipos, mas muitos rumores já adiantam o que esperar. O destaque fica por conta das duas câmeras —uma delas poderá ser removida do relógio para tirar fotos e vídeos com liberdade, sem precisar recorrer ao celular.

Como todo smartwatch, o aparelho do Facebook também terá funções de saúde e condicionamento físico, como monitor cardíaco, e de envio e recebimento de mensagens e notificações.

No futuro, ele poderá ser uma peça-chave para os óculos de realidade aumentada e reconhecimento facial que Mark Zuckerberg planeja. A empresa já adiantou, por exemplo, que seus futuros óculos inteligentes dependerão de um "mouse de pulso" como um relógio.

Entendendo o "FaceWatch"

Uma das câmeras ficará na tela do relógio, servindo, principalmente, para chamadas de vídeo. Já a lente na parte de trás, com resolução de 1080p (Full HD) e foco automático, poderá ser destacada da moldura de aço que ficará presa ao pulso.

Conectando o relógio à internet, será fácil compartilhar os conteúdos feitos pelas câmeras nas redes sociais da empresa, como Facebook, Instagram e WhatsApp.

De acordo com o site The Verge, que descobriu o relógio, o Facebook estaria criando acessórios que permitam encaixar essa câmera removível em outros lugares, como mochilas. A ideia é que o smartwatch possa substituir totalmente o celular em algumas situações.

A empresa também estaria conversando com as operadoras norte-americanas para oferecer internet 4G - ou seja, não o relógio não precisaria estar pareado com um celular para funcionar.

O sistema operacional deve ser uma versão customizada do Android, do Google, e não o Wear OS, software do Google para relógios.

O plano do Facebook

O grande objetivo, claro, é rivalizar com o Apple Watch —que não possui câmeras e teve 34 milhões de unidades vendidas no ano passado—, além de ter mais controle sobre os meios pelos quais os usuários acessam os serviços do Facebook.

O plano da rede social inevitavelmente traz à tona as polêmicas questões de privacidade e compartilhamento de dados que a companhia de Zuckerberg tem se envolvido nos últimos anos. Não se sabe ainda o que o Facebook planeja em termos de privacidade para o seu relógio.

Segundo os vazamentos, o Facebook deve lançar o novo produto nos Estados Unidos no segundo semestre de 2022, e já estaria até trabalhando na segunda e terceira gerações do smartwatch.

O preço ao consumidor ficaria em torno de US$ 400 (cerca de R$ 2.000 no câmbio de hoje), nas opções de cores preto, branco e dourado. Não há previsão de lançamento para o Brasil.