PUBLICIDADE
Topo

Deu Tilt #18: Xô, preguiça! Saiba como smartwatch pode ajudar em sua vida

Thiago Varella

Colaboração para Tilt

04/06/2021 04h00

O uso de smartwatches vem se popularizando nos últimos tempos. As pessoas usam não apenas para, digamos, substituir o celular e receber notificações diretamente no pulso, mas também para monitorar a saúde. Mas, será que esses aparelhos são mesmo precisos? Eles podem ajudar na prática de exercícios?

Sobre esse assunto, o jornalista Guilherme Tagiaroli conversou com Eduardo Kokubun, que é coordenador do núcleo de atividade física e esporte da Unesp, e Jader Sant'ana, que é doutorando em educação física na área de biodinâmica do desempenho humano pela UFSC, no 18º episódio do podcast Deu Tilt.

Ouça o episódio na íntegra no player acima.

Segundo Sant'ana, os smartwatches estão bem sofisticados e conseguem trazer uma série de auxílios para quem faz exercícios físicos. Hoje, é possível comprar aparelhos que ajudam no controle de carga interna, na frequência cardíaca média ou máxima, no monitoramento de prontidão ou na percepção do bem-estar ligada à qualidade do sono. Eles até mesmo conseguem dizer se você tem a passada simétrica ou assimétrica na hora de correr ou auxiliar para dar uma braçada correta na natação.

"Eles acabam de certa forma sendo uma ferramenta auxiliar. Não são um concorrente do profissional do mercado. Muito pelo contrário", disse (ouvir a partir de 08:38).

Para Sant'ana, esses aparelhos estão cada vez mais precisos e conseguem até identificar problemas como taquicardia ou arritmia, mas é necessário se informar bem antes de comprar um (ouvir a partir de 16:30).

"A gente que trabalha com clientes que compram diferentes marcas e a gente vê modelos que têm imprecisões muito grandes do próprio valor da frequência cardíaca. Muitos com erros grosseiros até. Por isso, na hora de escolher um aparelho, tem que ponderar a questão do custo-benefício", afirmou.

Já Kokubun explicou que, mesmo que a Anvisa tenha aprovado duas marcas para medir frequência cardíaca, esse uso é complementar e esses smartwatches não servem de diagnóstico (ouvir a partir de 20:00).

"Eles servem pra saber que você tem algum sintoma. Assim como se eu tiver a tal batedeira, taquicardia, eu consigo perceber o desconforto, esse é o momento de procurar um apoio profissional, no caso médico", disse.

Os podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts e em todas as plataformas de distribuição de áudio. Você pode ouvir "Deu Tilt", por exemplo, no Spotify, na Apple Podcasts e no YouTube.