PUBLICIDADE
Topo

App quer sua ajuda para melhorar algoritmo de detecção de covid por tosse

iStock
Imagem: iStock

Beatriz Lourenço

Colaboração para Tilt

10/02/2021 17h56

Pesquisadores de mais de 20 países estão desenvolvendo o Virufy, um aplicativo que usa inteligência artificial e aprendizado de máquina para analisar a tosse das pessoas e identificar sinais da covid-19. Agora, a organização Virufy, responsável pela iniciativa, quer a ajuda de brasileiros para melhorar seu algoritmo na detecção dos sinais da condição.

No estágio atual, a ferramenta mostrou precisão de aproximadamente 80% em estudos iniciais e promete dar o diagnóstico em poucos minutos. Os resultados foram publicados no site Arvix, que reúne artigos científicos ainda não revisados pelos pares —isto é, pesquisas que ainda precisam ser revistas por outros cientistas para ter sua descoberta comprovada.

Analisando a tosse seca

A tecnologia está sendo treinada com milhares de tosses de pessoas da América Latina, Europa e Ásia para distinguir os sons de quem testa positivo para o SARS-CoV-2 daqueles que não estão infectados com a doença.

Segundo o estudo, isso funciona porque "a tosse seca é uma característica da maioria dos casos e, por causa dos efeitos do vírus no sistema respiratório, a infecção causa um tipo de áudio único, distinto das outras". Ao todo, a pesquisa clínica envolveu 50 pesquisadores de 25 instituições —como as universidades de Cambridge, Stanford e Princeton e o Google— espalhados por 20 países, incluindo Inglaterra, Japão, EUA, Argentina, Brasil, Colômbia, México e Peru.

A ideia, que tem como objetivo deixar o diagnóstico acessível, pretende ser uma solução para achatar a curva de contágio do novo coronavírus.

"Essa é a única iniciativa capaz de reunir o mundo inteiro pela primeira vez: para parar o inimigo comum que é a covid-19", disse Amil Khanzada, engenheiro de software do Vale do Silício e fundador da Virufy. "É uma solução global genuína que visa acabar com essa pandemia, especialmente nos países em desenvolvimento onde não há acesso massivo aos testes, o que torna o rastreamento e o distanciamento social mais difíceis."

É importante ressaltar que o Virufy não substitui testes clínicos, como o sorológico e o RT-PCR. Mas vale como uma triagem suplementar que atua na detecção precoce, sugerindo um distanciamento social voluntário. "A propagação da COVID-19 começou com uma pessoa e não podemos continuar subestimando o vírus", comentou Khanzada.

Como ajudar

Como parte da criação do projeto, a organização está mobilizando esforços de brasileiros e latino-americanos para aprimorar o algoritmo e aumentar a base de dados, deixando o diagnóstico cada vez mais certeiro. Para isso, basta entrar no site, preencher seus dados e tossir na frente do seu celular.

Ainda não é possível saber quando o aplicativo será lançado, já que para isso são necessárias aprovações do departamento de saúde pública de cada país e estudos clínicos para validar a tecnologia de IA nas condições locais. "Este processo pode demorar algumas semanas ou meses dependendo da velocidade do parceiro governamental", declarou Khanzada.