PUBLICIDADE
Topo

Uber: motoristas agora podem ter conta mais ágil e internet grátis em apps

Uber
Imagem: Uber

Renata Baptista

De Tilt, em São Paulo

02/02/2021 04h00

A Uber apresentou, em evento na última semana, novidades que podem atender a antigas reivindicações dos motoristas, como uma forma de pagamento mais ágil e um plano de celular mais de acordo com as necessidades do serviço. Apesar de recursos bem vindos, a empresa ficou devendo em outras urgências, como a falta de segurança dos condutores. Isso fica mais sério em um período de aceleração da crise econômica e da pandemia de covid no Brasil.

Uma das novidades foi a Uber Conta, a partir de uma parceria com o banco Digio —será a primeira conta digital do Brasil dedicada a motoristas e entregadores da Uber.

Com ela, o pagamento pelas corridas cairá na conta dos profissionais instantaneamente, após o fim de cada viagem ou entrega. O tempo levado para compensação, atualmente, é de uma semana.

A conta oferece ainda um número gratuito de saques em caixas eletrônicos da rede Banco24Horas e TEDs. A quantidade de operações por mês varia conforme o nível do motorista no Uber Pro, programa de fidelidade da empresa.

Outro benefício anunciado foi o Uber Chip, feito em parceria com a Surf Telecom. De acordo com a empresa, é o primeiro plano de celular pré-pago em que o motorista ou entregador não gasta os dados do plano de internet móvel para usar o app Uber Driver.

Os assinantes do Uber Chip vão contar com navegação no Waze e WhatsApp ilimitada e com 9 GB de internet 4G por mês. Os preços variam de R$ 20 a R$ 35, também dependendo da categoria em que o motorista se encontra no Uber Pro.

"Já é algo, mas é preciso ainda mais", afirma a coordenadora de graduação em Economia da Insper, Juliana Inhasz. Para a professora, a oferta de suporte tecnológico e a possibilidade de receber o dinheiro instantaneamente é de extrema importância para os motoristas do aplicativo, mas ainda existem pautas sem resposta.

"Com isso, a Uber também trabalha em benefício próprio, já que diminui a pressão sobre as outras reivindicações, como a responsabilidade sobre a segurança de seus motoristas, que continuam sendo vítimas de assaltos e de acidentes", destaca Juliana.

Reclamações

A falta de segurança é ainda uma das principais reclamações dos motoristas de aplicativo. Para Leandro da Cruz Medeiros, presidente da Stattesp (Sindicato dos Trabalhadores com Aplicativos de Transporte Terrestre de São Paulo), que diz reunir cerca de 5.000 trabalhadores, os anúncios recentes são válidos, mas é necessário mais diálogo para que as demandas sejam atendidas.

"Acho positivo que comecem a pagar instantaneamente, mas é preciso rever valores. Estão fazendo promoções que tornam o trabalho inviável. O Uber Promo, por exemplo, está deixando todos os motoristas revoltados", afirma Leandro.

O Uber Promo é uma modalidade que dá aos passageiros descontos ainda maiores do que os da UberX —até então a mais barata da plataforma. Para isso, é preciso que a corrida ocorra em horários menos concorridos, como à noite. Na quinta-feira (28), a diretora geral da Uber no Brasil, Claudia Woods, comentou as reclamações.

"Para funcionar, a Uber precisa encontrar um equilíbrio viável entre o que o usuário quer e pode pagar e o que o parceiro [motorista] aceita receber", disse Claudia, complementando que os motoristas têm a opção de desativar a modalidade em seus aplicativos.

A necessidade que o aplicativo impõe a motoristas —de manter altas taxas de aceitação e baixas de cancelamento, e com isso aumentar o score no Uber Pro e obter mais benefícios— aumenta a sensação de insegurança dos motoristas, segundo Medeiros. "Se o motorista não se sente seguro não pode cancelar corrida. Daí ocorre assalto e até morte", diz o presidente da Stattesp.