PUBLICIDADE
Topo

Combate à pandemia: robô desinfeta metrô de Hong Kong contra o coronavírus

Cada robozinho desses custa cerca de US$ 129 mil - Divulgação
Cada robozinho desses custa cerca de US$ 129 mil Imagem: Divulgação

Thiago Varella

Colaboração para Tilt

15/03/2020 04h00

Espaços fechados e com muitas pessoas são o ambiente ideal para a proliferação de doenças. Isso transforma o metrô em um local de alto risco de contaminação, inclusive para o coronavírus.

Em Hong Kong, o órgão que administra o transporte de trilhos (MTR) contratou robôs para fazer a limpeza interna dos vagões do metrô. Tudo para evitar que o coronavírus se espalhe.

O robô se parece com um frigobar sobre rodas e espalha uma solução de peróxido de hidrogênio para desinfetar as superfícies. A máquina não dispensa o trabalho humano. Funcionários continuam limpando o metrô normalmente. O robô apenas reforça a desinfecção, além de alcançar locais difíceis e apertados.

O robô também é usado em locais por onde passaram pacientes diagnosticados com o novo coronavírus.

O investimento nos robôs foi alto. Cada um deles custou cerca de US$ 129 mil (aproximadamente R$ 617,5 mil). No total, 20 equipamentos estão sendo usados.

Até o momento, Hong Kong, que conta com 7,4 milhões de habitantes, confirmou 132 casos de coronavírus com quatro mortes causadas pela doença.

SIGA TILT NAS REDES SOCIAIS

Tilt