Topo

Coluna

Pergunta pro Jokura


Existe alguma terra "de ninguém"?

A Antártida é a maior "terra de ninguém" do planeta, mas não a única - Hamish Pritchard/AFP/Nature Publishing Group
A Antártida é a maior "terra de ninguém" do planeta, mas não a única Imagem: Hamish Pritchard/AFP/Nature Publishing Group
Tiago Jokura

Tiago Jokura é jornalista e, portanto, curioso profissional. Passou os últimos 15 anos respondendo as dúvidas mais complexas e inusitadas dos leitores na mídia impressa ? na tentativa infinita de explicar como o mundo funciona com clareza e bom humor. Agora, continua essa saga aqui no UOL. Mande sua pergunta cabeluda que ele faz questão de pentear.

19/08/2019 04h00

Pergunta enviada por Guilherme Mota, de São Paulo (SP)

Ô, se existe, Gui. Pouco mais de 10% de toda a área seca da superfície - 14 milhões de km², equivalente a mais de um Brasil e meio - são de terras sem dono, sem nenhum país governando soberano nem iniciativa privada explorando a seu bel-prazer.

Estou falando da Antártida. Sim, aquele mundão de gelo, o maior deserto do mundo, cujo domínio de partes do território já foi até reivindicado por países como Argentina, Austrália, Chile, França, Nova Zelândia, Noruega e Reino Unido. Nada feito, porém. A Antártida segue sendo esse gigante quase inabitado e "terra de ninguém", obrigado.

O máximo de abertura para empreitadas nacionais por lá é o direito que alguns países têm - incluindo o Brasil-sil-sil - de instalar e de manter laboratórios de pesquisa nos arredores do polo sul. De resto, ninguém é de ninguém, mesmo - expressão que define bem a colaboração internacional que rola entre 53 países para a ocupação, a exploração e a preservação do território antártico.

Mas não é só de vazios continentais que vivem as terras sem dono desse nosso questionado globo. Há vários outros territórios, mais modestos, que você pode tentar chamar de seus, dando sopa por aí. Listo alguns deles a seguir:

Bir Tawil

Essa talvez seja a mais conhecida "terra de ninguém" do planeta. Trata-se de um pedaço de chão entre o Egito e o Sudão que nenhum dos dois países clama para si. Toda essa confusão porque cada vizinho delimita suas fronteiras baseado em um desenho diferente. Assim, os egípcios acham que Bir Tawil é território sudanês e os sudaneses acham que é egípcio. Se quiser ir para lá fincar uma bandeira e iniciar seu reinado, Guilherme, não esqueça de ter um visto egípcio e outro sudanês no passaporte, para poder entrar e sair quando e por onde quiser.

Machias Seal Island

Esse pedaço de terra está em disputa entre Canadá e EUA. Como ninguém se entende sobre de quem é a soberania, quem nasce lá pode até obter dupla cidadania. Enquanto os homens não se entendem, quem reina na ilha são pássaros como o papagaio-do-mar, a andorinha do ártico e a torda-mergulheira.

Rockall

Em 2014, o aventureiro Nick Hancock estabeleceu um recorde: passou 43 dias vivendo nessa ilhota, toda de pedra. Lá não tem gente nem edifícios e, assim como a ilha anterior, é reivindicada historicamente por dois vizinhos: o Reino Unido e a Irlanda. Mais recentemente, Islândia e Dinamarca (por meio das Ilhas Faroe) também entraram na disputa, sobretudo para explorar os mares ao redor da ilha sem dono - promissor para as indústrias pesqueira e petrolífera.

Lagoan Isles

Esse talvez seja a "terra de ninguém" mais acessível da lista. Basta viajar para a Inglaterra e visitar o Lago Baffins, na cidade de Portsmouth. Há três ilhotinhas lá que estão sem dono. Quem descobriu foi o professor Louis Robert Harold Stephens, que examinou os documentos da venda do terreno ao redor do lago em 1938 e descobriu que não há menção das ilhotas como sendo parte do Reino Unido. Ele até se autoproclamou grão-duque da parada toda, mas isso até hoje não está no papel e as ilhotas continuam inabitadas - e à sua espera, Guilherme.

Tem uma pergunta? Deixe nos comentários!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.

Mais Pergunta pro Jokura