Topo

Reviews


"Knights and Bikes" é inesquecível como andar de bicicleta com um amigo

Knights and Bikes conta a história de duas amigas que precissam acabar com uma maldição - Divulgação
Knights and Bikes conta a história de duas amigas que precissam acabar com uma maldição Imagem: Divulgação

Makson Lima

Colaboração para o START

20/10/2019 04h00

Não é fácil lidar com nostalgia. Já faz um tempo que somos bombardeados por todos os lados e de forma multimidiática pelo dito "saudosismo oitentista", que tenta, de forma desesperada, remeter aos anos 1980. Seja pela estética, pelo humor sem pregas, os sintetizadores e new wave, seja pela violência ou tom de aventura. No entanto, não é nada fácil ligar os pontos certos.

"Knights and Bikes" consegue fazer isso. Não à toa, tem em sua equipe de desenvolvimento ex-integrantes da Media Molecule, de jogos como "Tearaway". A nova obra de Rex Crowle e Moo Yu, fundadores da Foam Sword, cujo objetivo é criar jogos cheios de arte e emoção, transborda o melhor daquelas férias de verão na casa de campo dos parentes distantes. Só que com uma maldição milenar orquestrando a coisa toda.

Bicicleta sem rodinhas

A história de "Knights and Bikes" envolve amizades e amadurecimento, assuntos típicos de filmes como The Goonies ou Clube dos Cinco. No game, acompanhamos Demelza, uma garotinha extremamente criativa, mas que também é sozinha. Após a morte da mãe, ela se tornou ainda mais reclusa em seus próprios devaneios, com o pai sempre ocupado cuidando das atrações turísticas da ilha onde vivem.

Penfurzy, a ilha onde o jogo todo se passa, já foi cheia de vida, de gente e alegria. Hoje em dia, é só lama e chuva. Sob essas condições adversas, chega Nessa, uma adolescente rebelde cujo objetivo na ilha é outro: encontrar um tesouro. Nessa passa a viver no trailer com Demelza, sob a condição de se tornar sua amiga. Os atritos de começo de relação existem, e são hilários, como quando jogam videogames juntas ou rola uma disputa pelo uso da bicicleta.

"Knights and Bikes" funciona muitíssimo melhor no cooperativo, online ou local. É o tipo de jogo que você chama aquele seu amigo especial, e partem, juntos, em aventuras tão especiais quanto. O espírito oitentista de Steven Spielberg vive em cada cantinho de Penfurzy. É perfeitamente possível jogar sozinho, intercalando entre Nessa e Demelza a qualquer instante, porque cada garota tem capacidades únicas, essenciais para seguir adiante. É bem mais do que puxar alavancas juntas, ou intercalar quem pisa em qual botão no chão, apesar desses convencionalismos básicos e chatos de jogos cooperativos existirem também, infelizmente.

Ninguém mexe com o Penfurzy Rebel Bicycle Club - Reprodução
Ninguém mexe com o Penfurzy Rebel Bicycle Club
Imagem: Reprodução

Claro que bicicletas são parte integrante da aventura: descer o barranco com aquele punk rock de trilha sonora, logo no começo do jogo, é muito honesto quanto ao ritmo da aventura daí em diante. E tudo corrobora: os gráficos, todos feitos a mão, remetendo "Don't Starve" e aquele Cartoon Cartoon preferido, a dificuldade atenuada, com combate, exploração e quebra-cabeças bem dosados, e uma história tão ingênua quanto importante. "Knights and Bikes" é um dos indies do ano, pode apostar que sim.

Balões d'água devem resolver

Há uma rotina em "Knights and Bikes", mas como tudo no jogo, foge às regras constantemente. É só pretexto para continuar a procurar o tesouro, e as histórias do passado medieval da ilha e como essas histórias permeiam a mente de Demelza, com direito a tracejado sobre o cenário, onde enlatados se tornam luvas de cavaleiros e escavadeiras, criaturas épicas, são companhia constante. É engraçado como Nessa, a mais pé no chão da dupla, é seduzida, conto a conto, pela imaginação de sua nova amiga. É legal demais para deixar de lado.

Você pode fazer carinho no ganso em Knights and Bikes - Reprodução
Você pode fazer carinho no ganso em Knights and Bikes
Imagem: Reprodução

Aliás, trata-se de uma dupla de três: gansos andam em alta nos videogames, e Hoonkers é parte fundamental do time, com seu faro apuradíssimo, buzinando para os monstros e quando quer comer. É mais ou menos ao mesmo tempo que essa parceria se firma de vez, que uma maldição toma a ilha, possuindo seus poucos habitantes e transformando bolas de golfe em bocas cheias de dentes afiados.

O combate em "Knights em Bikes" não é assim tão original, meio que um hack'n slash simplificado. Só que aí entram as maneiras inusitadas encontradas pela dupla para confrontar as ameaças: balões d'água, desentupidores, Power Glove (exatamente, tipo aquela da Nintendo) e vale até frisbee na cara e chute na canela.

Dia a dia, novos "poderes" são descobertos e o leque de possibilidades aumenta, tanto para resolução de quebra-cabeças, quanto para os embates em si. Até recuperar a energia se faz de forma especial: curativos aplicados na base do high-five, com direito a Ennio Morricone de fundo e tudo mais.. Mesmo em seus momentos mais convencionais, o jogo consegue deixar você com aquele sorriso de orelha a orelha.

O mapa do tesouro

"Knights and Bikes" tinha tudo para embarcar no emergente formato do procedural, abraçado por tantos indies. As dungeons estão lá, assim com os obstáculos e coletáveis nos arbustos, mas o jogo segue na contramão ao criar designs únicos para cada parte da ilha, sem essa de "cada partida é algo novo". Ainda bem.

Sua bike pode ser "tunada" no game - Reprodução
Sua bike pode ser "tunada" no game
Imagem: Reprodução

O que mais me chamou a atenção enquanto jogava é o laço existente entre as duas amigas. "Knights and Bikes" é um jogo, acima de tudo, sobre amizade, sobre problemas compartilhados e devidamente superados. A presença invisível da mãe de Demelza, como a influência e a motiva, é tocante, para dizer o mínimo. E essa é só uma das camadas abordadas no jogo que, infelizmente, não está traduzido para nosso idioma. Ou seja, fique com o dicionário ao seu lado, pois a história é sim parte importante do jogo.

Divulgação
Imagem: Divulgação
"Knights and Bikes" é repleto de personagens, traços e momentos marcantes. Nessa enxurrada de lançamentos, grandes e pequenos, é fácil deixar algo passar, mas não o faça com esse aqui. Dizem que nunca se esquece como andar de bicicleta, assim como jamais esquecerei "Knights and Bikes".

Lançamento: 27/08/2019
Plataformas: PC (Steam e GOG) e PS4
Preço sugerido: R$ 37,99 (PC), a partir de R$ 61,50 (PS4)
Desenvolvimento: Foam Sword
Publicação: Double Fine

SIGA O START NAS REDES SOCIAIS

Twitter: https://twitter.com/start_uol
Instagram: https://www.instagram.com/start_uol/
Facebook: https://www.facebook.com/startuol/
TikTok: http://vm.tiktok.com/Rqwe2g/
Twitch: https://www.twitch.tv/start_uol

Reviews