PUBLICIDADE

Topo

Para superar crise, Nintendo investirá em smartphones e preços flexíveis

Do UOL, em São Paulo

30/01/2014 12h56

A Nintendo realizou hoje (30) uma extensa apresentação para os investidores da empresa no Japão. O CEO Satoru Iwata explicou os diversos planos da empresa para superar a crise que chegou ao terceiro ano consecutivo naquela que é uma das principais fabricantes de videogames do mundo.

A estratégia da Nintendo envolve investir em smartphones mas não da maneira que muitos esperavam. Iwata deixou claro que não levará os jogos da companhia, como "Mario", "Legend of Zelda" ou "Pokémon" para plataformas mobile ou para outros videogames. Porém, a empresa reconhece a importância de criar uma relação com o público que vá além do console atual.

Para Iwata, a Nintendo deve criar um sistema de contas que poderá ser levado pelo usuário através de suas plataformas - portáteis e consoles - e também de smartphones. "No futuro, se conectar com nossos consumidores através do Nintendo Network ID será a nossa definição de uma plataforma Nintendo".

JOGOS DE DS NO WII U

  • Divulgação

    A Nintendo anunciou qe levará os jogos do portátil DS para o Wii U, através da loja online Virtual Console. Será possível ver ambas as telas do portátil no Wii U GamePad. Não foi dito quando a novidade chegará ao console.

O executivo não entrou em muitos detalhes sobre a iniciativa, embora tenha semelhanças com o que empresas concorrentes oferecem em suas plataformas digitais: Xbox Live, PlayStation Network e Steam são alguns exemplos.

Sobre o Wii U, foi dito que a Nintendo deve lançar uma atualização de sistema no meio do ano, que vai acelerar e melhorar o uso da tela do controle para jogar sem a televisão.

A empresa também trabalha para melhorar a tecnologia NFC, que permite aos jogos interagir através da tela com objetos reais, como brinquedos, por exemplo. O suporte mais intenso ao NFC pode representar bons resultados para a Nintendo no futuro: os bonecos de "Skylanders", da Activision usam a tecnologia e estão entre os brinquedos mais vendidos no período de festas de fim de ano nos EUA em 2013.

Preços flexíveis e mercados emergentes

Outro aspecto que Iwata destacou é uma possível mudança na precificação dos games. O executivo declarou que cortar o preço do Wii U não é uma opção, mas explicou que a Nintendo criou o modelo de negócios onde se vende um console por algumas centenas de dólares e jogos por US$ 50 ou US$ 60. Porém esse modelo não será viável no longo prazo.

Assim, a Nintendo estuda novas políticas de preços para os softwares, visando incentivar os jogadores mais entusiastas. Iwata citou opções como vender jogos mais em conta para quem comprar cinco games ao longo do ano ou oferecer um incentivo quando o jogador sugere um game para um amigo.

Embora o executivo não afirme, parece claro que se trata de uma iniciativa para o eShop, a plataforma de distribuição digital da Nintendo e não para o tradicional comércio no varejo. O que Iwata deixa claro é que a empresa deve começar a experimentar novos sistemas de preços no Wii U, antes de expandir para outras plataformas, como o portátil 3DS.

A preocupação da Nintendo com os preços dos jogos também deve impactar nos mercados emergentes. Para Iwata, existem países onde há um interesse crescente por videogames, mas a renda da população não é o bastante para que os fãs possam adquirir novos consoles e jogos.

O CEO da Nintendo comenta que para alcançar esse público, é preciso investir em preços diferentes para os jogos e também em localização, ou seja, oferecer os games no idioma local - vale notar, nos EUA a Nintendo publicou recentemente uma vaga para traduzir seus jogos para português. Por mercados emergentes, a Nintendo se refere ao Brasil e a Índia, sugere o site Games Industry.

Mudanças na precificação e outras iniciativas para mercados emergentes devem levar um tempo para acontecer. Segundo Iwata, a Nintendo "planeja dar passos significativos em direção à uma nova abordagem de mercado em 2015".

Licenciamento de personagens

Outra mudança importante envolve o licenciamento de personagens da Nintendo para outros produtos. A fabricante japonesa sempre foi bastante conservadora, evitando desgastar suas marcas em produtos terceiros. Agora, porém, a empresa sinaliza mudanças nessa política.

"Vamos expandir ativamente o negócio de licenciamento de personagens, buscando de forma proativa parceiros apropriados", disse Iwata. "Vamos ser flexíveis para formar parcerias de licenciamento em áreas que não trabalhamos no passado, como no campo digital, desde que não tenhamos competição direta e seja uma parceria ganha-ganha".

"Ao seguir em frente com essas atividades em escala global, nós vamos aumentar a exposição do consumidor aos personagens da Nintendo, que vão aparecer em outros lugares além dos videogames".

Um novo oceano azul

Outro plano da Nintendo é buscar um novo nicho de mercado, uma área de atuação onde a empresa não terá competidores - estratégia conhecida entre os especialistas como "Oceano Azul" e adotada com sucesso pela empresa no passado, com a criação do Wii (que desbravou o mercado dos jogadores casuais), por exemplo. Dessa vez a aposta da Nintendo pode estar em outro segmento: saúde e qualidade de vida.

"Nós vamos continuar devotando nossa energia para plataformas dedicadas aos videogames, mas o que vejo como nosso primeiro passo em um novo segmento de negócio, em nossa empreitada para melhorar a qualidade de vida é o tema 'Saúde'", explicou Iwata, que descreveu um conceito de hardware e software integrado, usando a experiência da Nintendo com produtos como "Brain Age" e "Wii Fit".

"Nossa abordagem será de redefinir a noção de consciência saudável e eventualmente aumentar a população em boa forma... Eu sinto que essa plataforma de melhoria de qualidade de vida pode não só utilizar nosso know-how e experiência com videogames, mas também interagir com jogos e criar um efeito de sinergia".

A "plataforma de melhoria na qualidade de vida" deve levar dois ou três anos para chegar ao mercado, disse Iwata. O executivo acredita que o desenvolvimento desse novo negócio pode render novos temas para jogos que rodarão nos futuros consoles da Nintendo, criando um ciclo contínuo de inovação e interação.

Mario Kart 8
Mario Kart 8
#albumEmbed015('tagalbum','72281+AND+52432')

Jogos para 2014

A Nintendo também divulgou a janela de lançamentos dos games para Wii U e 3DS em 2014, além de alguns títulos previstos para os próximos anos.

Na relação divulgada, se destaca a chegada de "Mario Kart 8" em maio e a confirmação do novo "Super Smash Bros" para 2014. Porém, entre os games de produtoras receiras, a ausência de "Watch Dogs", da Ubisoft, chama a atenção.

Rumores sobre o cancelamento da versão do game de ação para  Wii U circularam recentemente, mas o título continua disponível para compra antecipada nas lojas norte-americanas.

FUTUROS GAMES DE WII U E 3DS

JOGODATA DE LANÇAMENTO
Games para Wii U 
Donkey Kong Country: Tropical Freeze21/02
Mario Kart 8Maio/2014
Hyrule Warriors (nome temporário)2014
Super Smash Bros. for Wii U2014
Bayonetta 22014
X (RPG da Monolith Soft)2014
The Amazing Spider-Man 22º semestre
Lego Movie The Videogame04/02
Lego The Hobbit2° trimestre
Scram Kitty and his Buddy on Rails2014
Armillo1° trimestre
Wooden Sen'SeY Neko2014
1001 Spikes2014
Teslagrad2014
Shovel Knight2014
Games  para 3DS 
Bravely Default07/02
Professor Layton and the Azran Legacy28/02
Yoshi's New Island24/03
Disney Magical World11/04
Super Smash Bros. for 3DS2014
Kirby Triple Deluxe2014
Mario Golf: World Tour2014
Cut the Rope: Triple Treat25/03
The Amazing Spider-Man 22º semestre
Conception II: Children of the Seven Star15/04
Legends of Oz: Dorothy's Return05/2014
Siesta Fiesta1° trimestre
One Piece: Romance Dawn11/02
1001 Spikes2014
Moon Chronicles2º semestre; episódico
Retro City RampageFevereiro
The Lego Movie Videogame04/02
Lego The Hobbit2° trimestre
Além de 2014 para Wii U 
Yarn Yoshi (nome temporário) 
The Legend of Zelda (nome temporário) 
Fire Emblem x Shin Megami Tensei