Topo

Produtor seleciona fases e chefes favoritos de "Sonic Generations"; leia entrevista completa

CLAUDIO PRANDONI

da Redação

09/12/2011 16h08

Uma das principais surpresas no ano foi o lançamento de "Sonic Generations".

Que fique bem claro: a surpresa não foi o jogo ter saído, mas sim o fato de ser uma ótima aventura estrelada pelo ouriço da Sega, que nos últimos anos amargou em sua maioria produções medíocres.

Combinando o estilo 2D clássico dos títulos consagrados no Mega Drive com o visual e velocidade alucinantes das iterações modernas, "Sonic Generations" agradou em cheio fãs do herói e de games de aventura à moda antiga.

Para saber mais detalhes sobre a produção e o futuro do mascote da Sega, UOL Jogos conversou com Takashi Iizuka, produtor do game. Leia abaixo a entrevista completa:

UOL Jogos: De onde veio a ideia para o jogo?

Takashi Iizuka: Como "Sonic Generations" é o game que celebra os 20 anos do herói, nosso objetivo era criar um jogo que condensasse a jogabilidade do Sonic nestas duas décadas. O clássico estilo side-scrolling e o recente estilo moderno são os dois esquemas que mais aparecem nestes 20 anos de história, então estabelecemos eles como os pilares da jogabilidade.

UOL: Como vocês decidiram quais fases colocar no jogo?

Iizuka: Fizemos uma enquete com o pessoal do Sonic Team, da Sega of America e também Sega Europe e também fizemos uma outra votação com alguns fãs na internet.

Apesar de a gente não conseguir colocar todas as fases favoritas do público em um único jogo, as versões de PS3/X360/PC e 3DS oferecem estágios diferentes, então há uma boa chance de você encontrar muitas de suas zonas favoritas nos jogos.

Sonic Generations
Sonic Generations
#dev_albumEmbed015('tagalbum','50862+AND+16800')

UOL: O Sonic clássico, gordinho, fez muito sucesso entre os fãs. Quais os planos para ele?

Iizuka: O Sonic clássico fez esta aparição muito especial para celebrar os 20 anos do herói. Infelizmente, porém, não temos planos de trazer ele de volta em jogos que não sejam celebrações de aniversário.

UOL: Quais suas fases favoritas em "Sonic Generations"?

Iizuka: Eu gosto de todas as fases as quais eu criei a versão original em seus respectivos jogos, como City Escape e Sky Sanctuary. Também fiquei impressionado com a maneira que Perfect Chaos foi apresentado em "Sonic Generations". Desta vez, o chefe realmente virou um monstro todo feito de água, conforme nossa intenção original - algo que não conseguimos em "Sonic Adventure" na época por conta das limitações de hardware.

UOL: E agora, o que podemos esperar do futuro do Sonic?

Iizuka: Obviamente, ainda não podemos falar muito sobre isso ainda, mas no momento estamos trabalhando duro em "Sonic 4 Episode II", sequência direta de "Sonic 4 Episode I", que saiu em 2010.

VEJA NOSSA VIDEOANÁLISE DE "SONIC GENERATIONS"

  •  

MESTRE MUSICAL

Desde 1993, um dos principais responsáveis pelas trilhas sonoras de games da série "Sonic" é o guitarrista Jun Senoue. Em "Generations" ele reprisou o papel, desta vez também com a responsabilidade de revigorar canções compostas para os dois primeiros títulos da franquia.

UOL Jogos: Como foi recriar músicas clássicas e modernas para o "Sonic Generations"?

Jun Senoue:
"Sonic Generations" foi a primeira vez que Masato Nakamura, compositor original das músicas dos dois primeiros "Sonic", nos permitiu arranjar as composições. O estilo e intensidade de arranjo varia entre as canções, mas Chemical Plant e City Escape são bons exemplos em termos de manter ritmos memoráveis, mas também trazer mudanças ousadas.

Já o arranjo moderno de faixas como Green Hill e Sky Sanctuary, cujas trilhas originais não era muito rápidas, possui uma função especial que sincroniza a batida de acordo com a velocidade do Sonic, acelerando ou diminuindo de acordo com a velocidade do herói.

 

Mais Start