PUBLICIDADE

Topo

The Walking Dead

Pablo Raphael

Do UOL, em São Paulo

19/03/2012 12h38

"The Walking Dead" não é o seu típico jogo de tiro com zumbis. Assim como a série de televisão e os quadrinhos, o jogo da Telltale Games está mais interessado em contar a história das pessoas que sobreviveram ao despertar dos mortos-vivos.

Para o produtor Sean Vanaman, o adventure é "uma recriação fiel do mundo do autor Robert Kirkman, onde recursos são escassos e disparar armas de fogo por aí é uma péssima idéia. É um drama humano em meio aos zumbis".

No jogo, você não faz parte do grupo liderado pelo policial Rick Grimes, mas participa de uma história paralela, com um personagem novo: o ex-detento Lee Everett, que luta para permanecer vivo e proteger uma garotinha chamada Clementine.

VISUAL SOMBRIO

  • Divulgação

    Os gráficos de "The Walking Dead" diferem de tudo que a Telltale fez até hoje. Seus artistas utilizaram técnicas de ilustração 2D para dar um tom diferente aos modelos 3D. As semelhanças com o traço dos quadrinhos estão lá e as cores refletem aquelas da série de TV.

A Telltale usa os quadrinhos de "Walking Dead" como base para seu enredo - vale lembrar, a trama vista na TV é bem diferente daquela dos gibis. O estúdio trabalha junto com Kirkman, o criador de "The Walking Dead", para garantir que o jogo se encaixe perfeitamente nesse universo.

Assim como outros adventures da Telltale, "The Walking Dead" será distribuido em episódios. O primeiro se passa durante o período em que Rick está em coma, exatamente quando a infestação zumbi tem início.

Personagens e locações importantes aparecem nesse episódio: você encontrará Glenn antes dele se tornar membro do grupo de Rick, por exemplo. A fazenda de Hershel - cenário da 2ª temporada da série de TV - também estará presente.

"A fazenda é o exemplo perfeito de como a história principal e o jogo se cruzam. Você poderá ver e fazer parte da situação que levou o filho de Hershel para dentro do celeiro", diz Vanaman.

OS MORTOS-VIVOS

  • Divulgação

    Na maior parte dos jogos de zumbis, você luta contra hordas de cadáveres genéricos e sem nome. Em "The Walking Dead", há um cuidado para que cada morto-vivo tenha sua própria história, seu passado. "Nós os humanizamos. Você não vai descer o machado em um desconhecido, mas no seu irmão", explica Vanaman.

Decisões mortais

"The Walking Dead" é baseado em 5 anos de histórias em quadrinhos mas a Telltale pretende oferecer liberdade para o jogador em sua própria aventura.

O jogador escolherá muita coisa na aventura, inclusive quem vive e quem morre. A Telltale garante que não há escolhas corretas em "The Walkind Dead". Seja nas suas ações ou decisões, é importante que a trama siga em frente.

Como bem sabem os fãs de "The Walking Dead", sejam eles vindos das HQs ou da televisão, depois que os mortos se levantam, não é recomendável se apegar a nenhum dos personagens.

ASSISTA AO TRAILER DE "THE WALKING DEAD"

  •