PUBLICIDADE
Topo

Rainha Elizabeth faz 95 anos sensibilizada com homenagens ao marido

21/04/2021 10h53

Por Michael Holden

LONDRES (Reuters) - A rainha britânica Elizabeth disse ter ficado profundamente comovida com as homenagens feitas ao seu marido, príncipe Philip, nos primeiros comentários públicos sobre a morte ocorrida no início deste mês e quando comemora seu primeiro aniversário sem ele em 73 anos.

Philip, com quem Elizabeth se casou em 1947, morreu em 9 de abril aos 99 anos, e os membros da realeza prestaram suas últimas homenagens ao patriarca da família em um enterro no sábado no Castelo de Windsor.

Devido às restrições da Covid-19, a rainha se sentou sozinha durante o serviço discreto para Philip, que ela havia descrito antes como sua "força e esteio" durante seu longo reinado.

"Embora, como família, estejamos em um período de grande tristeza, é um conforto a todos nós ver e ouvir as homenagens prestadas ao meu marido daqueles dentro do Reino Unido, da Comunidade das Nações e de todo o mundo", disse Elizabeth, que fez 95 anos e é a monarca mais idosa do planeta, em um comunicado.

"Minha família e eu gostaríamos de agradecer a todos vocês pelo apoio e pela gentileza demonstrados a nós nos últimos dias. Ficamos profundamente comovidos, e continuamos a ser lembrados de que Philip teve um impacto extraordinário em incontáveis pessoas durante sua vida".

A rainha, que também é a monarca reinante há mais tempo, passará o aniversário no Castelo de Windsor – a ocasião costuma passar com pouca ou nenhuma cerimônia.

Como os membros da realeza estão observando duas semanas de luto, ela será ainda mais contida, sem salvas de tiros na Torre de Londres ou no Hyde Park da capital. A rainha tem um aniversário oficial que costuma ser comemorado com mais pompa no segundo sábado de junho.

"Recebi, por ocasião do meu 95º aniversário hoje, muitas mensagens de bons votos, que agradeço muito", disse ela no comunicado.

O premiê britânico, Boris Johnson, foi um dos que a parabenizaram no Twitter. "Tenho orgulho de servir como seu primeiro-ministro", escreveu.

A morte de Philip privou a rainha Elizabeth de seu confidente mais próximo e confiável, que esteve ao seu lado durante seu reinado de 69 anos.

A monarca também lida no momento com uma das maiores crises a atingirem a família real em décadas: alegações de racismo e negligência de seu neto, príncipe Harry, e sua esposa norte-americana, Meghan.

Jornais especulam que familiares visitarão a rainha nos próximos dias para que ela não fique sozinha durante o luto pelo marido.

(Por Michael Holden e Natalie Thomas)